ATRAÇÕES TURÍSTICAS


BREJO ALEGRE E O RIO TIETÊ
Conhecido nacionalmente por atravessar praticamente todo o Estado de São Paulo, o Rio Tietê é o principal atrativo turístico do município de Brejo Alegre. Localizado na Sub-Bacia Hidrográfica do Baixo Tietê, o município possui atributos próprios para lazer, além de recursos culturais e naturais que apresentam um ótimo potencial para o desenvolvimento do Turismo. A Hidrovia Tietê-Paraná passa pelo município – é a segunda maior do Brasil em quantidade de carga e passa a poucos quilômetros do centro da cidade. A Usina Hidrelétrica Nova Avanhandava, situada entre os municípios de Brejo Alegre e Buritama, recebe um significativo número de excursionistas, que costumam utilizar da infraestrutura local para se alimentar e realizar atividades extras de lazer durante o passeio. Brejo Alegre oferece entretenimento, belas paisagens, serviços de aluguel de barco para pesca e passeios fotográficos, hotel, casas de veraneio, restaurantes, lanchonetes, além de recursos de saneamento básico como distribuição de água potável de qualidade, assim como energia elétrica e pronto atendimento médico bem estruturado para todo o município e seus visitantes. A prefeitura desenvolve atividades turísticas e eventos tradicionais como rodeios e festivais gastronômicos. Atualmente, o COMTUR, com apoio do departamento municipal de turismo, desenvolve projetos e planos, a fim de impulsionar a atividade turística no município. É região de grande beleza natural e graças á demanda que envolve o Rio Tietê, o município é muito procurado por pescadores de todos os lugares do Brasil e até mesmo de outros países, atraídos pela piscosidade do rio, limpo e cristalino.
Fonte: Erika Domingues Caldeira – Bacharel em Turismo

TURISMO
Brejo Alegre é um município rico em belezas cênicas e suas principais atrações turísticas estão voltadas ao Rio Tietê. É muito atrativo para o Turismo Náutico e principalmente para o Turismo de Pesca. Possui belíssimos e confortáveis ranchos de veraneio, muito procurados por famílias, grupos de amigos e pescadores, principalmente no verão e em temporada de pesca. O município também possui a tradição da cultura japonesa, preservada pela Associação Nipo Brasileira de Brejo Alegre, que realizam festival gastronômico uma vez por mês, no Bairro Córrego Seco, com o prato típico da cidade: UDON e outras especialidades do Japão, que atraem visitantes de toda a região. A ponte José Chafic Abdo, localizada no Km 42 da Rodovia Deputado Roberto Rollemberg, que liga os municípios de Brejo Alegre a Buritama, é ponto de visitação turística por oferecer belíssima vista para o rio e Usina Hidrelétrica Nova Avanhandava. Brejo Alegre é um dos municípios por onde passa a Hidrovia Tietê Paraná. É rota do Barco Odisséia, que possui capacidade para 500 pessoas - o equipamento turístico mais conhecido da região, que realiza festas e eventos durante as navegações, bem como passeios regulares ou agendados pelo Rio Tietê. Outros grandes atrativos do município são: Usina Hidrelétrica Nova Avanhandava, Colônia Nipo Brasileira de Brejo Alegre, Praça Pública “Manoel Rodrigues Leitão”, Ranchos do Condomínio Vitória, Córrego Seco e Ponte Velha e as festas populares como: Rodeio e o Festival Gastronômico Japonês. O município conta com um hotel de porte simples, porém, possui dezenas de ranchos às margens do rio para aluguel, que variam desde os simples, até as mais sofisticados. Na cidade há restaurantes, churrascaria, lanchonetes, bares, trailers, sorveterias e padarias de boas qualidades. Potencialmente, o município pode explorar o Turismo Rural e precisa suscitar o interesse empresarial para investir neste tipo de atividade, pois o maior potencial da cidade está no Turismo de Pesca.

ASPECTOS CULTURAIS
Brejo Alegre, como todas as cidades tem expressivo artesanato, com artistas que trabalham com tecidos, bordados, crochê, aplicações em tecido, além de doces e comidas artesanais. Como é comum, as expressões culturais se estendem ainda nas áreas de teatro e dança para adultos e crianças, realizados por grupos de igrejas e ações sociais. Possui manifestações religiosas que, têm seu lugar em eventos programados ou não programados, realizados por diversos setores da cidade e também pela prefeitura.
MANIFESTAÇÕES CULTURAIS
FESTIVAL DA CULTURA JAPONESA
TRADICIONAL RODEIO/FESTA DO PEÃO
APRESENTAÇÕES DE TEATROS
APRESENTAÇÃO DE DANÇAS COM GRUPOS RELIGIOSOS E SOCIAIS
APRESENTAÇÕES MUSICAIS DIVERSAS
EXPOSIÇÕES EM PRAÇA PÚBLICA
ARTESANATO LOCAL
APRESENTAÇÃO DE CORAL
BANDA MARCIAL MUNICIPAL
REALIZAÇÃO DE CONCURSOS CULTURAIS
FESTA DE SANTOS REIS
TRADICIONAL FESTA JUNINA
PROJETO GURI

ASSOCIAÇÃO NIPO-BRASILEIRA
Com importante referência em toda a região, a Associação das Nações do Oriente representa a comunidade nipo-brasileira e promove a preservação e divulgação da cultura japonesa em Brejo Alegre e toda a região. Com sede no Bairro Córrego Sêco, localizada na zona rural, na entrada do município, esta Associação independente, conta com membros descendentes japoneses, de várias cidades próximas ao município. Famosos por realizarem festivais de comida japonesa, são responsáveis por comercializar um prato da cultura japonesa que se tornou a comida típica de Brejo Alegre: UDON. – delicioso macarrão oriental com temperos especiais. A fim de imortalizar a cultura japonesa no município, a associação, que faz parte do COMTUR, tem projetos voltados ao desenvolvimento do Turismo Cultural em Brejo Alegre através de feiras e festivais.

TRADICIONAL RODEIO
Em sua 16ª edição, o Rodeio é tradição no município de Brejo Alegre. Mesmo sem recinto fixo, o evento costuma receber público de aproximadamente cinco mil pessoas por noite, que visitam o município a fim de prestigiarem as montarias e shows oferecidos pela Prefeitura e Comissão da festa. Atualmente, um recinto está sendo construído, em parceria com o Governo do Estado de São Paulo, para a realização da tradicional festa, a fim de oferecer mais atrações aos visitantes, atraindo assim, mais público ao evento e ao município. Antecedente as datas de realização do rodeio é realizado o BAILE DE ESCOLHA DA RAINHA DO RODEIO, no Centro Comunitário Municipal.

ATRATIVOS TURÍSTICOS – RIO TIETÊ
Entre os municípios de Brejo Alegre e Buritama, está localizada a USINA HIDRELÉTRICA NOVA AVANHANDAVA, uma das mais conhecidas do Rio Tietê. A barragem possui sistema de eclusa que viabiliza a manutenção da navegação fluvial. Muitas barcaças fazem o transporte da produção da região a um custo menor do que o do transporte rodoviário. A Usina Hidrelétrica atrai muitos visitantes ao município. Há várias excursões de estudantes de várias cidades e idades que impulsionam o turismo na região. Após as visitas, geralmente os grupos se alimentam nos restaurantes de Brejo Alegre, ou realizam outras atividades na Praça Pública “Manuel Rodrigues Leitão”. Há uma transportadora turística denominada “Odisséia Turismo”, que realiza passeios com possibilidades de eclusagem na hidrelétrica, banhos no meio do rio e paradas em Brejo Alegre, para que os visitantes possam conhecer a cidade. Os moradores e visitantes do município têm visão privilegiada do Rio Tietê, pois é possível vê-lo em todos os cantos da cidade, principalmente pela Avenida 15 de Novembro e em construções mais altas. Atravessando o rio por barco ou via ponte, chega-se rapidamente a “Prainha de Buritama” e ao Porto Odisséia, o que facilita a aliança turística entre Buritama e o município de Brejo Alegre.

PONTE VELHA
Antiga ponte construída sobre o Rio Tietê na década de 1960, ligando o município de Brejo Alegre e Buritama. Foi utilizada por menos de 20 anos, sendo demolida logo após a construção da Usina Hidrelétrica Nova Avanhadava, em 1982. No lugar, foi construída a “Ponte Nova” (Ponte José Chafic Abdo). É ponto turístico para pescadores e amantes de belas paisagens. O acesso é pela Rodovia Dep. Roberto Rollemberg e estrada rural municipal de Brejo Alegre, no Bairro Águas da Ponte Velha – Córrego dos Baixotes.

MONUMENTO DA COLÔNIA NIPO-BRASILEIRA
Localizado na Sede da Colônia Nipo-Brasileira de Brejo Alegre, denominada Associação das Nações do Oriente, no bairro Córrego Seco, o monumento é uma homenagem aos colonizadores japoneses do município. Possui diversas placas de homenagem aos Aniversários da colônia Nipo-brasileira. A imigração japonesa no Brasil teve início oficialmente em 18 de junho de 1908, quando o navio Kasato Maru aportou no Porto de Santos, trazendo 781 lavradores para as fazendas do Interior Paulista. O senhor Kenji Osawa, um dos fundadores do município, pertencia a esse grupo de imigrantes e veio com sua família para o município. Em 1929 foi fundada a Associação das Nações do Oriente, e o primeiro presidente da Colônia foi Takeshi Hashimoto. A Associação foi aberta para que os descendentes dos japoneses, moradores de Brejo Alegre, fizessem suas festividades e tivessem seus momentos de lazer. Hoje, é ponto de visitação turística e recebe centenas de visitantes, principalmente durante os festivais gastronômicos que a colônia realiza.

TURISMO DE PESCA
O Turismo de Pesca vem sendo importante no cenário do turismo local, pois além de movimentar a economia, tem trazido benefícios como o estímulo à pesca esportiva “Pesque e Solta” e a conscientização dos pescadores amadores. É caracterizada por viajantes que buscam aliar suas atividades de lazer, a prática da pesca amadora ou esportiva, sem finalidades comerciais. Brejo Alegre protagoniza um cenário muito favorável para este tipo de Turismo, pois, dispõe de uma grande extensão hidrográfica e diversidade de peixes. A prática da pesca amadora é composta por diferentes tipos de modalidades. As que mais caracterizam o segmento são:
PESCA DE ARREMESSO
PESCA DE BARRANCO
PESCA DE “CORRICO” ou “TROLLING”
PESCA DE RODADA
FLY FISHNG
PESCA SUBAQUÁTICA
Sendo a prática que mais garante respaldo a sustentabilidade da pesca por hobby, o “Pesque e Solta”, que consiste em soltar os peixes mais jovens e os de maior tamanho, garantindo a reprodução da espécie. A região recebe grande número de turistas de pesca, e já recebeu visitantes estrangeiros interessados nos Tucunarés.

CULINÁRIA JAPONESA

COMIDA TÍPICA – “UDON”

Udon é um prato de macarrão muito popular no Japão. Saudável, versátil e muito saboroso, Udon pode ser servido em uma variedade de maneiras, entre pratos quentes e frios. É a comida típica do município de Brejo Alegre. O macarrão de Udon tem a cor branca e é feito à base de farinha de trigo, sal é água. Sua espessura costuma ser mais grossa em vista dos macarrões tradicionais. É possível comprar o prato pronto durante os festivais gastronômicos japonês, realizado pela Associação Nipo-Brasileira de Brejo Alegre. Existem várias formas de consumir Udon, mas uma das maneiras mais tradicionais, principalmente no Verão, é consumi-lo mergulhando em um caldo gelado. Esse caldo normalmente é feito à base de Dashi, molho de soja e Mirin. Outros ingredientes podem ser adicionados como Kamaboko, Aburaage, têmpura, cebolinha picada, etc.

A ORIGEM DO UDON
Não se sabe ao certo qual sua origem. Uma das versões diz que o Udon surgiu no ano de 1241, quando o monge chinês Enni, introduziu a tecnologia de moagem de farinha no Japão. Com essa técnica era possível produzir macarrão de vários tipos como soba e udon e logo esses pratos se espalharam por todo o país, especialmente durante o período Edo. Nesta época, o macarrão de udon era mais espesso e era servido com um caldo quente chamado Nurumugi. Já a versão gelada era chamada de Hiyamugi. A outra versão da história conta que o Udon surgiu no Período de Nara, quando um japonês trouxe cerca de 14 receitas depois de uma viagem à China. Entre elas estava o Muginawa, um macarrão branco e grosso que era feito com farinha de trigo e farinha de arroz. No entanto, a versão mais conhecida é a de que um sacerdote budista chamado Kukai tenha introduzido o macarrão Udon na região de Shikoku durante a Era Heian, após uma viagem à China no início do século 9 para estudar o budismo. Por esta razão, o Udon tornou-se um prato popular e tradicional na província de Sanuki (atualmente chamada de Kagawa).

AS VERSÕES QUENTES DO UDON
Nos dias frios (e quentes também), uma tigela de Udon é sempre bem vindo. Existe uma grande variedade de pratos quentes de Udon. O mais básico é uma tigela de Udon com caldo Mentsuyu ou Kake-jiru, mas existem muitos outros pratos como podemos ver a seguir:
Kake Udon: Udon simples coberto com cebolinha picada.
Tanuki Udon: Udon coberto com pedaços de têmpura frito chamado Tenkasu.
Kitsune Udon: Udon com uma fatia fina de Tofu frito (abura-age).
Kaki-age Udon: Udon com uma bola de têmpura de peixe e legumes variados.
Tempura Udon: Udon normalmente coberto com dois têmpuras de camarão.
Tororo Udon: Udon coberto com inhame ralado, cuja textura é um pouco viscosa.
Kare Udon: Udon com molho de Kare (Curry).
Yaki Udon: Semelhante ao Yakisoba, com carne, repolho, cenoura e outros vegetais.
Nabeyaki Udon: Udon cozido em caldo à base de Dashi e ingredientes como alho-poró, espinafre e frutos do mar.

AS VERSÕES FRIAS DO UDON
O prato mais básico de Udon servido frio é chamado de Zaru Udon. Este prato é geralmente servido em um prato plano de bambu, muitas vezes coberto com nori (algas secas). O macarrão vem acompanhado de uma tigela com caldo Mentsuyu gelado para mergulhar o macarrão, e também Wasabi e cebolinha, que deve ser misturado ao caldo Mentsuyu. Depois é só mergulhar um pouco do macarrão nesse caldo. Mas além do Zaru Udon, existem outras variações frias e geladas de Udon igualmente deliciosas.
CONFIRA:
Ten-zaru Udon: É outra versão do Zaru udon, mas acompanhado de têmpura de camarão e legumes. Para consumi-lo, basta mergulhar o têmpura no caldo juntamente com o Udon.
Tororo Udon: Uma versão fria da versão quente de mesmo nome.
Oroshi Udon: Udon em caldo Tsuyu frio coberta com Oroshi (rabanete Daikon ralado).

ARQUITETURA RELIGIOSA

MONUMENTO “JESUS CRISTO MISERICORDIOSO”
Localizado na Rotatória “Américo Luiz Alves”, o monumento recentemente inaugurado, é uma homenagem ao padroeiro do município: SAGRADO CORAÇÃO DE JESUS. É um belíssimo objeto artístico que dinamiza a preservação da cultura religiosa no município. Durante a noite, recebe jogo de luz especial, na cor verde – cor que simboliza o município de Brejo Alegre. Sobre a rotatória há paisagismo com jardinagem envolta do monumento, com coqueiros e plantas rasteiras, valorizando ainda mais paisagem local e a obra. O monumento é orgulho da comunidade e é o mais novo “cartão postal” da cidade.