ATRAÇÕES TURÍSTICAS


CASTILHO - PARAÍSO DO PESCADOR E DA PESCA SUSTENTÁVEL

O município de Castilho com seus recursos naturais e paisagísticos, já o transformaram em uma referência turística regional para onde se deslocam populações de diversas regiões do oeste paulista para atividades de lazer. Além de desfrutar de uma posição geográfica singular, o local de rara beleza é banhado pelos rios Tietê, Paraná e Aguapeí, também conhecido pelo apelido de rio Feio devido a coloração de suas águas barrentas. É neste terceiro rio que as Centrais Elétricas de São Paulo (CESP) mantêm uma Unidade de Conservação (RPPN) propícia à visitação para estudo, contemplação e conhecimento da fauna e flora da região. O município é envolvido por imenso lago, formado pela Usina Hidrelétrica Engenheiro Souza Dias, conhecida como Usina de Jupiá, que se estende por 330 km² a montante no Rio Paraná. Este lago forma uma das mais belas paisagens lacustres de nosso Estado. Imensas áreas de lazer, de pesca e de passeios turísticos se estendem por centenas de quilômetros às suas margens pelos municípios vizinhos. Este conjunto do grande rio e do lago permite, ainda, o transporte fluvial por meio da eclusa da Usina de Jupiá, integrando-se à Hidrovia Tietê-Paraná com amplo potencial de trânsito turístico. Há que se destacar que a Usina de Jupiá, por si só, representa uma atração turística especial. Trata-se de uma imensa obra da engenharia nacional, sendo a primeira grande hidrelétrica, concluída em 1974, e que por si só, é um espetáculo especial que atrai cerca de dez mil turistas anualmente, especialmente durante a época da piracema, com o monitoramento da escada de passagem do pescado. Os investimentos da iniciativa privada começam a se deslocar para a região. As margens da represa e do Rio Paraná são ocupadas, atualmente, por chácaras, sítios de lazer, balneário, com interessante infraestrutura, onde se multiplicam pousadas e marinas de pescaria fluvial que confirmam a imensa vocação turística do município. Há restaurantes que atendem com almoços típicos do produtor rural e da cultural local, tais como peixada e comidas da roça. Possui mais de 200 leitos espalhados no município, entre hotéis, pousadas e ranchos, que abrigam de forma confortável todos que para cá se dirigem. Portanto, é correto dizer que o turismo de Castilho está diretamente ligado ao TURISMO NÁUTICO E DE PESCA, contemplando o cunho de lazer e de ecoturismo.

ATRATIVOS/ARTIFICIAIS

PORTAL DE ENTRADA DA CIDADE

Um dos mais belos e receptivos “Portais de Entrada” do interior do Estado de São Paulo. Foi projetado para simbolizar o Turismo no município, conhecido como “Paraíso da Pesca”. É um dos pontos de parada favorito dos turistas para registro de fotos. No período de alta temporada, é utilizado para distribuição de folders aos visitantes. É uma expressão arquitetônica projetada para “falar” ao visitante: BEM VINDO À CASTILHO!

INFORMAÇÕES/C. A.T.
Neste Portal encontra se instalado o  CENTRO DE ATENDIMENTO AO TURISTA, funcionando diariamente, das 09 às 16 horas. No local, o turista recebe informações sobre os atrativos turísticos do município, e encontra materiais de divulgação para facilitar seu acesso e locomoção.
LOCALIZAÇÃO
Entrada da cidade - Via de Acesso Antônio Vieira de Brito (Acesso pela Rodovia Marechal Rondon).

RODA D’ÁGUA
Construída em comemoração ao aniversário do município, a Roda D´Água se tornou “cartão postal” de Castilho. Durante 24 horas, o charme natural de sua arquitetura chama a atenção dos turistas que entram na cidade. As plantas, as cascatas, a roda d´água e os animais do monumento, simbolizam a história e paisagens do município. Mesmo sendo artificial, é um dos locais mais bonitos para registro fotográfico.
LOCALIZAÇÃO
Rua Benedito Rodrigues Matos -
Via de Acesso Antônio Vieira de Brito – Rotatória.

PRAÇA CENTRAL
A Praça Lizete Bispo dos Santos, também conhecida como Praça Central, é o principal ponto de encontro de castilhenses e turistas. É palco de feiras, shows e grandes eventos. Ornada por grande lago artificial com peixes ornamentais, possui pontes de madeira e bela fonte com cascata. Além do coreto, para apresentações musicais, a praça possui playground, academias ao ar livre com cobertura, portal de entrada, quiosques-bar    e belíssimos bancos temáticos. Possui banheiros masculino e feminino, calçadão e telefones públicos, tudo ornamentado com temática turística, lembrando fauna, flora e ecossistema da região.
LOCALIZAÇÃO
Praça Central - Acesso pela Avenida Dr. Getúlio Vargas.

ATRATIVO/CULTURAL

CARNAVERÃO

Uma das festas mais famosas realizadas na Praça da Matriz é o CARNAVERÃO. É a festa de Carnaval mais animada da região. Regada a matinês e bailes noturnos, costuma receber de 8 a 10 mil foliões por noite, tanto do Estado de São Paulo, quanto do Mato Grosso do Sul. A festa é uma das principais do Calendário de Eventos do município, e ocorre anualmente durante a semana do carnaval.

MANIFESTAÇÕES/CULTURAIS
Em Castilho, foram listadas as seguintes manifestações culturais:
- Desafio de Mountain Bike – Ecobike.
- Acampamento de Carnaval da Igreja Católica.
- Campeonato de Corrida de Rua.
- Campeonato de Futebol.
- Campeonato de Skate.
- Clube da Terceira Idade.
- Procissão de Nossa Senhora Aparecida.
- Festas Juninas/Julinas.
- Festa da Folia de Santos Reis, entre outras que ocorrem de forma esporádica.

TURISMO/RELIGIOSO

IGREJA MATRIZ SÃO JOSÉ

A Paróquia São José de Castilho, pertencente à Igreja Mitra Diocesana de Araçatuba, faz parte dos atrativos históricos e culturais do município. A igreja São José foi oficialmente transformada em paróquia no dia 1º de janeiro de 1959, após construção em 1958, com a elevação da torre existente até os dias atuais. Anteriormente, até a data da inauguração, era capela de Andradina. Segundo o relato do Padre Arnaldo, antigo coadjutor da Paróquia de Andradina, e primeiro pároco da cidade, a igreja teve sua construção no governo do primeiro prefeito municipal.
Várias promoções, como as tradicionais quermesses ajudaram na construção da igreja. A visitação é pública e gratuita, não havendo nenhum tipo de restrição à visitação ou ao acesso. A conservação da Paróquia e do ambiente das imediações é realizada pela Prefeitura do Município de Castilho, e a paróquia pela diocese.
Endereço: Em frente à Praça da Matriz – Centro
Fone – (18) 3741.1158 - Salão Paroquial.

ATRATIVO/ECOTURISMO

PARQUE ESTADUAL DO AGUAPEÍ (PEA)

O Parque Estadual do Aguapeí foi criado pelo Decreto Estadual nº 43.269/199, como forma de compensação pela construção da Usina Hidrelétrica Engenheiro Sérgio Motta. Este Parque está dividido entre os municípios de Castilho, Nova Independência, Guaraçaí, São João do Pau d´Alho, Monte Castelo e Junqueirópolis. Possui grandes extensões de várzeas, que são alagadas periodicamente. O Rio Aguapeí, constituído por rara beleza,    formaum Pantanal na região, que é conhecida como “PANTANINHO PAULISTA”. É um dos últimos locais onde ainda é encontrado o cervo-do-pantanal no estado de São Paulo. No “Centro de Visitantes”, os turistas podem apreciar a exposição de painéis com imagens e informações de todo o ecossistema do parque. Antes do passeio, todos são orientados pelos monitores, recebem equipamento de proteção (perneiras) e depois, pode desfrutar das trilhas pelas matas e realizar safári fotográfico para contemplação da flora e fauna, sempre acompanhados pelos guias e monitores do local. Os menores de 10 anos (desacompanhado dos pais) fazem uma visita alternativa, com atividades lúdicas, onde, além da exposição, podem desfrutar de demonstrações e pequenas oficinas ligadas ao meio ambiente e ecossistema do Aguapeí. O Parque Estadual do Aguapeí realiza termo de cooperação com todos os municípios onde está localizado. Com o objetivo de atender 2 mil alunos da rede pública por ano, oferece ônibus e lanche aos estudantes de Castilho, Nova Independência, Guaraçaí, São João do Pau d´Alho, Monte Castelo e Junqueirópolis. Costuma receber grande número de estudantes e universitários, para visitas técnicas durante os finais de semana. As visitas em grupos são agendadas, porém, visitas particulares com número reduzido de pessoas, não precisam de agendamento, e é realizada de segunda a sexta-feira, das 08 às 17 horas. Todo equipamento de segurança para quem navega no rio está previsto pelo regulamento de utilização náutica da Marinha: colete salva vidas, boias, licença para navegação, poita etc. O serviço de alimentação disponível está localizado num raio de cinco quilômetros, com lanchonetes e restaurantes. O passeio de barco pode ser feito através da contratação de serviços de aluguel de barco e piloteiro, nas pousadas existentes no bairro Porto Independência.

FAUNA
A fauna do parque é muito semelhante a encontrada no Pantanal, principalmente a avifauna,como é o caso do jaburu, colhereiro, o cabeça-seca, o maguari, visto conservar grandes extensões da várzeas. Mas é a mastofauna que chama a atenção, principalmente por ser usada como um índice do grau de conservação do local, já que a ausência de grandes felinos e ungulados acarreta mudanças na integridade da cadeia alimentar e da diversidade do ambiente.

CONSERVAÇÃO DO CERVO DO PANTANAL
O Parque Estadual do Aguapeí é um dos locais onde ainda é encontrado o cervo-do- Pantanal no Estado de Sâo Paulo. É a espécie símbolo do parque e é preocupante a situação dela, visto que sua área de distribuição está bastante reduzida, não só pela destruição de seu habitat, comopor uma forte pressão de caça e doenças introduzidas pelo gado doméstico. No Estado de São Paulo, a situação é crítica, restando apenas duas populações na bacia do Rio Aguapeí e do Peixe. É preponderante ações para conservação dessa espécie no parque, visto que a espécie, antes encontrada no Estado de São Paulo, como um todo, com exceção da região leste e da Serra do Mar, hoje está praticamente restrito ao Parque do Aguapeí e ao Parque sul do Município de Castilho.
LOCALIZAÇÃO
Sede administrativa: Nova Independência (SP)
Rodovia General Euclides de Oliveira Figueiredo, km.161
Contato - (18) 99741.3455 e 98111.4820.
Horário de atendimento:
Segunda à sexta-feira: das 08 às 17 horas
Sábados e domingos: Somente com agendamento. Entrada Gratuita.

ATRATIVOS/NATURAIS

RIO AGUAPEÍ

Reseva Particular do Patrimônio Natural da Foz do Rio Aguapeí. O Rio Aguapeí nasce no município de Gália, e deságua no Rio Paraná após percorrer 700 km rumo ao interior do oeste do Estado de São Paulo. Apesar de apelidado de “Feio”, não justifica a fama. A reserva particular é uma área de 8.885 hectares, com grandes extensões de várzeas e fauna adaptada aos ciclos de seca e cheia. Localizada nos municípios de Castilho, São João do Pau D´Alho e Paulicéia, a RPPN Foz do Rio Aguapeí, é de propriedade da Companhia Energética de São Paulo (CESP) e foi reconhecida pela Secretaria Estadual do Meio Ambiente. Esse tipo de reserva tem a finalidade de conservar a diversidade biológica protegendo os recursos hídricos, a fauna e a flora, além de preservar as belezas do local e permitir o desenvolvimento de pesquisas científicas. Sua importância turística está na apreciação da beleza paisagística, pois se trata de área onde a biodiversidade da fauna e flora é digna de estudos, apreciação e contemplação. A reserva tem surpreendido técnicos e pesquisadores pela diversidade de ambientes e de espécies da flora e fauna de ecossistemas úmidos que, em um passado não muito distante, caracterizava, além do Aguapeí, longos trechos dos rios Tietê, Peixes e Paraná. Por reunir um conjunto de características que lembram o Pantanal mato-grossense, com fauna adaptada a ambientes úmidos como anfíbios, répteis e aves paludícolas e aquáticas, e estar conectada com o Parque Estadual do Aguapeí, a região é conhecida como Pantanal Paulista. A RPPN e o Parque formam um conjunto de 23 mil hectares que resguardam amostras dos ecossistemas que outrora existiam nas desembocaduras dos rios paulistas que desaguavam no Rio Paraná, com sua exuberante vegetação e fauna típica de banhados e varjões. Entre outras, são espécies encontradas na RPPN: a onça parda,a jaguatirica, o lobo-guará,anta, queixada, cateto, porco-espinho, veado-mateiro, bugio-preto, macaco-prego, jacaré do papo amarelo, gambá, tamanduá bandeira, teiú e capivara.  No futuro, as próximas gerações poderão usufruir da riqueza ambiental da biodiversidade preservada nessas unidades.
LOCALIZAÇÃO:
Sul do município de Castilho. Da praça central, rumar para o Bairro Porto Independência, dirigir pela Rodovia SPV-08, por aproximadamente 45 km e, no entroncamento, tomar a Rodovia SPV-09, após pegar a estrada CTH-349, terminando a chegada com a estrada CTH-399.
VISITAÇÃO:
Está aberto à visitação pública e a trilha pela RPPN é feita somente com o acompanhamento dos técnicos da CESP, não há registro oficial das visitas ao local, e o acesso pelo Rio Aguapeí é livre e gratuito.
SERVIÇO:
A infraestrutura básica da administração na RPPN contém alojamento, cozinha, refeitório e banheiro.
Existem informações visuais (placas, cartazes, folhetos). Os guias ou responsáveis fornecem informações e existe fiscalização ostensiva no local. Não há alimentação disponível, cada turista deve levar o seu mantimento para comer no local.

RIO PARANÁ
O Rio Paraná nasce da confluência de dois importantes rios brasileiros, os Rios: Grande e Paranaíba. Desde sua formação, na confluência dos mencionados rios, tem largura superior a 1 km e vazão mínima de mais de 1 mil m3/s. Considerando-se em conjunto com o rio Paranaíba, o rio Paraná corre em território brasileiro com orientação geral sudeste,por cerca de 620 km até atingir as Cachoeiras de Sete Quedas (afundadas pela barragem de Itaipu), deste ponto, inflecte para o sul, passando a fazer fronteira entre Brasile Paraguai, numa extensão de 190 km até a foz do Rio Iguaçu, a partir de onde passa a ser limite, entre a Argentina e o Paraguai. O Rio Paraná oferece em toda a sua extensão, atrações de pesca, esportes náuticos, e os pontos com infraestrutura situam-se no Residencial Encontro das Águas, Ilha Comprida, pousadas e portos de embarcações no Bairro Beira Rio e Porto Independência,além da RPPN CESP da Foz do Rio Aguapeí. A barragem de Jupiá, localizada a 21 km da confluência com o Rio Tietê, dispõe de eclusa, o que dá a continuidade da navegação neste trecho do Rio Paraná. O canal de Pereira Barreto e o aproveitamento do Rio São José dos Dourados, proporcionam uma passagem para a navegação, permitindo assim a ligação entre o tramo norte e o tramo sul do Rio Paraná. Este atrativo recebe visitação pública durante todo ano, para prática de esportes náuticos, passeios de barco, veleiros, lanchas, mergulhos, pesca esportiva, amadora e banho. Há restrições ao atrativo onde a propriedade é particular (a maioria delas estão disponíveis para aluguel). Além de rampas públicas para embarque e desembarque de embarcações, há pequenas “prainhas” improvisadas pelos banhistas e mirantes naturais, para o deslumbre dos olhos de quem visita o rio. Há alimentação disponível num raio de cinco quilômetros do local, no Residencial Encontro das Águas, no Lago da Usina, pousadas, lanchonete e restaurantes nos bairros Beira Rio e Porto Independência, e também no distrito de Jupiá (MS).
ACESSO AO RIO
Distante do centro do município – 22 km.
Faz divisa entre os Estados de São Paulo e Mato Grosso do Sul.

RIO TIETÊ
O Rio Tietê percorre o Estado de São Paulo de leste a oeste. Nasce em Salesópolis (SP), na Serra do Mar, a 840 metros de altitude e não consegue vencer os picos rochosos rumo ao litoral, por isso, ao contrário da maioria dos rios que correm para o mar, segue para o interior, atravessa a Região Metropolitana de São Paulo, e percorre 1.100 quilômetros, até o município de Itapura, em sua foz do Rio Paraná, na divisa com o Mato Grosso do Sul. Em sua jornada banha 62 municípios ribeirinhos, e suas sub-bacias hidrográficas, em uma das regiões mais ricas do hemisfério sul. Em tupi-guarani significa “Volumoso”. O significado histórico e o papel econômico deste rio lhe conferem a suaimportância para o país.
Este atrativo recebe visitação pública, e não existe restrição estabelecida quanto a visitação ou acesso.
É muito utilizado para pesca e lazer náutico (passeios de barco, veleiro e mergulho) na parte localizada no município de Castilho.
Para quem deseja aproveitar os dias desfrutando das belezas naturais deste rio, hámeios de hospedagem a menos de cinco quilômetros de distância: Hotel Itapura e
Pousada Residencial Encontro das Águas.
LOCALIZAÇÃO
O Rio Tietê faz divisa ao Norte de Castilho com o município de Itapura (SP). Distância do centro da cidade: 32 km, com acesso pela Rodovia SP-595.

TURISMO/PESCA

FESTA DO PESCADOR

A festa do Pescador acontece todos os anos em comemoração ao aniversário da cidade de Castilho, que leva o título de “Paraíso do Pescador”. Esse evento conta com a participação de artistas e bandas consagrados, e costuma durar entre 3 a 8 dias. Atrai turistas de toda a região do Estado de São Paulo e Mato Grosso do Sul. A primeira edição da festa aconteceu de 22 a 29 de junho de 1975, e perdura até os dias.
Local do Evento - Recinto de Festas Adão Severino.

TORNEIO DE PESCA
Este evento é realizado no último mês de “pesca liberada” (que ocorre normalmente próximo do feriado de Nossa Senhora Aparecida, em 12 de outubro). A modalidade é pesca esportiva (pesque e solte). O torneio atrai amantes da pesca de todo o Brasil.
Durante o evento, há sorteios brindes e excelentes premiações aos participantes, como barcos e motores.
No final da competição é realizado churrasco de confraternização.
O torneio é tradição do município, e não há restrições para participar, desde que o competidor realize o pagamento de sua inscrição nos locais indicados, e venha munido debarco e equipamento de pesca.
Inscrições/Fone – (18) 3741.1662
Local - Rio Paraná – Bairro Beira Rio.

TURISMO/NÁUTICO

PARQUE AQUÁTICO MUNICIPAL

O Parque Aquático da cidade de Castilho é uma diversão não só para os moradores, como também para os turistas que visitam o município. Para usufruir das piscinas do parque, basta realizar exame médico no local. A diversão é garantida para todas as idades nas piscinas e tobogã. Possui cascatas e um “dinossauro” – alegria do público infantil. A segurança é realizada pela supervisão do parque aquático.
Horário de funcionamento - das 13 às 18 horas.
Local - Rua Rio Branco, 526
Fone - (18) 3741.9000

REPRESA DE JUPIÁ
CAMPEONATO PAULISTA DE JET SKI

O evento é realizado para incentivar a prática de esportes náuticos na Represa da Usina Engenheiro Souza Dias(Jupiá). O represamento das águas forma um grande lago de águas cristalinas e tranquilas, próprias para os esportes náuticos e lazer. Todos os anos, participam do evento, competidores profissionais de todo o Brasil. Costuma atrair um fluxo de turistas diferenciado. O campeonato fortalece o Turismo na região de Castilho, gerando grande divulgação do nome do município por todo o país. Os competidores costumam trazer suas famílias para se hospedarem nas “pousadas” Operadores e Residencial Encontro das Águas, próximas a represa.
O evento dura dois dias, e conta com estrutura como arquibancada, palanque, pódio para entrega dos troféus, sonorização, banheiros químicos, equipe de segurança nos boxes, barco de resgate, jet madrinha e jet resgate,  tudo para bem atender o público e participantes.

CATEGORIAS/PARTICIPANTES
- Runabout 0 800 cc Super Stock – Jet/Sentado.
- Runabout 0 1200 cc Super Stock – Jet/Sentado.
- Sky Super Stock – Jet/Empé.
- Free Style Amador (manobra radical).
 - Free Style Profissional (manobra radical).
Local: Represa de Jupiá (próximo ao Iate Clube Urubupunga).
Realização:Parceria entre a Liga Paulista de Jet Ski e Prefeitura Municipal de Castilho.

ATRATIVOS/ARQUITETÔNICO/CULTURAL

PONTE FERROVIÁRIA “FRANCISCO DE SÁ”

Sua atividade está relacionada à cultura histórica de sua construção, bem como atrativo tecnológico dado as características de sua construção.
HISTÓRICO/PONTE:
A travessia do Rio Paraná inicialmente feita por meio do sistema de balsa era restrita ao tráfego ferroviário e operou até 12 de outubro de 1927. A balsa era servida por dois portos de acesso, um em cada margem do Rio Paraná (margens paulista e sul mato-grossense). Em cada um dos portos havia uma pequena locomotiva que realizava as manobras necessárias para retirar e colocar os vagões nas chatas. Após ser definido o local para a construção de uma ponte definitiva, ainda sob contrato da Companhia de Estrada de Ferro Noroeste do Brasil, foi apresentado  um  projeto  para aconstrução de uma ponte de 950 metros. Na ocasião, uma comissão de engenheiros opinou que a estrutura metálica, já no local, embora não oferecesse perigo para um trem do tipo locomotiva a vapor que pelas suas características, não corresponderia a uma futura expansão de tráfego. Deste modo foi organizado outro projeto abandonando-se as alvenarias já executadas. A estrutura metálica não seria perdida. Optou-se pelo seu uso nos rios do Estado de São Paulo e Mato Grosso do Sul, que até então possuíam partes em madeira, resolvendo- se de modo econômico a mudança do projeto inicial. O projeto final dava a ponte extensão de 1024 metros, e denominação de Ponte Francisco de Sá.
LOCALIZAÇÃO:
Ponte metálica que, por ferrovia, liga a Castilho (SP) a Três Lagoas (MS).
Distância do centro do município: 25 km, com acesso pela Rodovia Marechal Rondon (SP-300), km 665.
PROPRIEDADE DO ATRATIVO:
CESP (Companhia Energética de São Paulo S/A). Quanto a sua visitação, não há restrições.
Acesso – Gratuíto.
SERVIÇO:
Há praça de alimentação disponível num raio de cinco quilômetros do local, no distrito de Jupiá (MS), sendo do tipo: restaurantes, bares e lanchonetes. É um local ideal para tiragem de fotos e contemplação da exuberância do rio.

USINA ENGENHEIRO SOUZA DIAS – “JUPIÁ”
Constitui-se como atrativo técnico-científico e culturalmente faz parda da História do Município como a terceira unidade geradora em potência de energia elétrica do país e também devido à cultura do “barrageiro”, nordestinos que migraram para o município a fim de construírem a barragem e se fixarem em Castilho, trazendo os usos e costumes de suas regiões que influenciaram a cultura municipal. A Usina Hidrelétrica foi construída    com    tecnologia inteiramente brasileira e concluída em 1974. Possui 14 unidades geradoras com turbinas Kaplan com potência instalada de 1.551,2 MW e dois grupos de turbina-gerador, para serviço auxiliar com potência instalada de 4.750 KW em cada grupo.  Sua    barragem tem    5.495 metros de comprimento, e o reservatório possui 330 km2. A Usina dispõe de eclusa, que possibilita a navegação no Rio Paraná e a integração hidrovia com o Rio Tietê. Esta área encontra-se situada dentro de uma unidade de conservação, e está a 22 quilômetros de distância do centro da cidade e recebe visitação. As visitas devem ser programadas através de solicitação ao departamento de comunicação e o acesso é gratuito. A Usina Hidrelétrica possui infraestrutura planejada para atendimento aos turistas, com orientações prévias sobre todo o percurso. O agendamento é feito por e-mail e a visita é realizada acompanhada pelos guias do departamento de comunicação da operadora. A conservação é feita pela própria empresa.
LOCALIZAÇÃO
Rodovia Marechal Rondon, km 667.
CEP: 16920-000 – Castilho (SP)
Visitas/Agendamento:
Email - visita.primavera@cesp.com.br

ECLUSA DE TRANSPOSIÇÃO/USINA DE JUPIÁ
Sua importância está no desenvolvimento turístico devido a navegabilidade da Hidrovia Tietê-Paraná, constituindo como marco importante ao desenvolvimento econômico e comercial do MERCOSUL.
A eclusa, juntamente com as eclusas das Usinas de Três Irmãos (Pereira Barreto) e Usina Sérgio Motta (Porto Primavera) e Eclusa da Usina Hidrelétrica Engenheiro Souza Dias (Jupiá), iniciou sua operação em janeiro 1998. As atividades oferecidas estão baseadas em sua integração com a natureza e aos atrativos históricos demarcados pelos caminhos dos Bandeirantes no desbravamento do interior paulista. É neste contexto que o Turismo Hidroviário se destaca, oferecendo embarcações que levam a conhecer a hidrovia, os parques de conservação da natureza, represa, ilhas fluviais e baías. Esta área encontra-se situada dentro de uma unidade de conservação e está numa distância de 22 km do centro do município.
Este atrativo recebe visitação pública e não existe alguma restrição estabelecida quanto à visitação. A Usina Hidrelétrica possui infraestrutura planejada para atendimento aos turistas, com orientações prévias sobre todo o percurso.
CARACTERÍSTICAS:
ECLUSA DE NAVEGAÇÃO:
largura útil de 17 metros, altura de 21 metros e comprimento de 210 metros.
Capacidade de transposição de carga: 27 mi t/ano.
A hidrovia Tietê-Paraná é atualmente mais uma opção de Lazer e Turismo no Estado de São Paulo, oferecendo aproximadamente 2.400 km de estirões de água navegáveis, que envolvem 85 municípios, e vão desde as proximidades da capital paulista, até a parte do extremo oeste do Estado.
Visitas/Agendamento:
O acesso as visitações devem ser programada através de solicitações ao Departamento de Comunicação da Usina.
O agendamento é feito, e a visita é acompanhada pelos guias do Departamento de Comunicação da Usina Engenheiro Souza Dias.

REPRESA DE “JUPIÁ”
A Represa da Usina Engenheiro Souza Dias (Jupiá) possui águas cristalinas, próprias para esportes náuticos, além de mergulho e lazer com passeios de lanchas, caiaques e windsurfe. A represa dá acesso ao Norte para o Rio Tietê e ao município de Itapura (SP), no Oeste (Estado do Mato Grosso do Sul) acesso ao Rio Sucuri, a Leste (Estado de São Paulo) acesso a prainha e a Marina Urubupunga, ao Condomínio Encontro das Águas, onde está localizada a Pousada dos Operadores, além das casas de veraneio existentes na margem da represa. Esta área encontra-se situada dentro de uma unidade de conservação e recebe visita pública. As casas de veraneio são uma atração à parte do passeio realizado a partir da Marina de Urubupungá. Localizada na margem esquerda da represa, a partir da Foz do Rio Tietê até o Condomínio Encontro das Águas, são bem cuidadas e de especial beleza para os visitantes.
COMO CHEGAR
Para chegar até a represa, da UHE Engenheiro Souza Dias – “Jupiá”, partindo da Praça da Matriz, centro de Castilho, tomar a vida de acesso rumo a Rodovia Marechal Rondon. Após três quilômetros, tomar direção a oeste. A esquerda da rotatória, seguir rumo à Três Lagoas (MS). Na rotatória do km 665, fazer o contorno a direita, obedecendo as placas de sinalização.
Seguir a CTH-430 por seis quilômetros.

ATRATIVO/INDUSTRIAL/COMERCIAL
CERÂMICA JOMINA

Sua importância está em conhecer a tecnologia de produção e transformação industrial. É ponto de visitas técnicas e educativas.
As visitações são marcadas com antecedência, e guiadas para melhor entender o processo de fabricação de tijolo, telha, cerâmicas etc. A produção das olarias e da Cerâmica Jomina utiliza a argila para o tipo Cerâmica Vermelha. Sua área compreende 242 ha e é de propriedade particular, pertencente ao Sr. Luiz Carlos Machado.
Teve sua inauguração em 1º de fevereiro de 1986. Tem como objetivo mercantil e industrial o comércio de produtos cerâmicos para a construção civil, e compreende as telhas, tijolos, blocos e lajotas. A distribuição dos produtos ocupa uma fatia do Estado de São Paulo, Mato Grosso do Sul e Minas Gerais.
LOCALIZAÇÃO
Fazenda Progresso – Bairro Cafeeira
12 km do centro da cidade, com acesso pela Rodovia SPV-08 (CTH-162).
Endereço - Rua Osório Junqueira, 416
Fone/Agendamento - (18) 3741.1359

ATRATIVO/ECOLÓGICO/COMERCIAL
ORQUIDÁRIO

O Viveiro de Mudas possui várias espécies de plantas frutíferas, ornamentais e grande diversidade de orquídeas. É parada obrigatória de estudantes, turistas, colecionadores e amantes de orquídeas. As orquídeas possuem uma das maiores famílias de plantas existentes, com uma grande variedade de gênero e suas espécies. Tantas suas plantas como suas flores possuem muitas formas, cores e tamanhos, vegetando como epífitas (fixas em árvores), ripícolas (fixas em rochas) e terrestres (geralmente em local com restos vegetais ou meio arenosos). Essas plantas têm o poder de causar o fascínio em quem se interessa por elas, tornando uma continua busca de espécies a quem as deseja ter. No orquidário, durante a visitação, a proprietária sempre oferece informações de manejo e cultura das orquídeas. As mudas, vendidas no local, são trabalhadas para que possam se reproduzir com mais eficiência, e o plantio é feito em vasos próprios para a comercialização. A visitação deve ser agendada. No local, é possível comprar orquídeas já produtivas. O visitante pode visitar todo o viveiro e propriedade rural, onde há orquídeas espalhadas pelos troncos das árvores e coqueiros para a adaptação e reprodução. O passeio conta com tour de conhecimento e depois as pessoas são convidadas para um lanche, onde poderá apreciar e comprar as orquídeas que estão expostas na Varanda Residencial. O tempo de visita é em média de duas horas. Além de visita, o Orquidário oferece cursos sobre manejo e manutenção de orquídeas, que são realizados durante o ano. Os cursos são elaborados conforme as turmas formadas e vão do básico ao avançado.
LOCALIZAÇÃO:
Viveiro de Mudas “Souza Rodrigues”.
Estrada SPV-08 – Castilho / Nova Independência – km 10 Sitio Estância Souza Rodrigues – Assentamento Terra Livre.
Visita/Agendamento - Fone -  (18) 3744-9990
Fonte:
Assessoria de Imprensa da Prefeitura Municipal.
COMTUR – Conselho Municipal de Turismo de Castilho.