HISTÓRICO


A ORIGEM
O surgimento do vilarejo de Arco Íris ocorreu no ano de 1928. Nessa época, em virtude da fertilidade de seu solo, e a existência de grande quantidade de madeira de lei, despertou o interesse do senhor João Florenço, seu pioneiro, que na ocasião residia na cidade de Glicério, região noroeste do Estado. Numa gleba de 15 alqueires de terra, derrubou a mata, plantando cereais. Em seguida, outros pioneiros chegaram ao vilarejo, dentre eles, os senhores Aurélio Moreno Zamora e José Morábito. O senhor Aurélio Moreno Zamora, oriundo da cidade de Braúna, igualmente abriu o seu sítio, construindo na ocasião, a primeira casa de tijolos no vilarejo, já com o nome de Vila Santa Helena. O interesse pelo local foi despertado por outras pessoas, chegando também outro pioneiro, Joaquim Dias de Souza, mais conhecido como Joaquim Piauí, instalando no vilarejo, o primeiro armazém da Vila Santa Helena, onde hoje está localizado o centro urbano.

FUNDAÇÃO DO POVOADO
O senhor Aurélio Moreno Zamora, verificando a grande atração que a região apresentava, realizou o primeiro loteamento de Santa Helena. Nessa ocasião instalou a primeira serraria, com o objetivo de aproveitar o grande manancial de madeiras existente. A seguir implantou também um gerador de energia elétrica, que durante um período da noite, atendia as residências e estabelecimentos comerciais existentes, e devido a grande produção de café na época, instalou também uma máquina de beneficiamento de café para atender os proprietários rurais e os arrendatários. Em virtude do crescimento da Vila Santa Helena, e o consequente aumento de proprietários de sítios, como também a vinda de outros moradores, o senhor Aurélio Moreno Zamora implantou um loteamento, o mesmo se deu com o senhor José Morábito, que também implantou outro loteamento no vilarejo, sendo que tais empreendimentos colaboraram sobremaneira para a vinda de mais moradores. Em razão da possibilidade de elevação a categoria de Distrito, da Vila Santa Helena, passou-se a discutir a mudança do nome de Vila Santa Helena para outro nome, estabelecendo-se aí, em comum acordo entre esses dois pioneiros, o nome de ARCO ÍRIS.

CRIAÇÃO DO DISTRITO
O Distrito de Arco Íris, pertencente ao município de Tupã, foi criado através do Decreto Lei Estadual nº 233, de 24 de dezembro de 1948. Sua instalação verificou se em 01 de janeiro de 1949.

ORIGEM DO NOME
Popularmente, há quem diga que quando foi dado o nome à cidade de Arco Íris, o senhor Aurélio Moreno Zamora tinha interesse que o nome de Santa Helena, continuasse, porém o senhor José Morábito, insistia na mudança para que distrito passasse a chamar-se Bom Jesus, e, depois de várias discussões, não chegaram a um acordo sobre a pretendida mudança, - daí o lado pitoresco - que um dos interessados, disse, como não será colocado o nome de meu interesse, pode colocar qualquer nome, até arco da velha, se quiserem, neste momento, o outro interessado respondeu-lhe - está aí - vamos colocar o nome de Arco Íris, daí por diante, adotou o nome ARCO IRIS para o Distrito.

CRIAÇÃO E EMANCIPAÇÃO DO MUNICÍPIO
Em 30 de dezembro de 1993, através do Decreto Lei Estadual nº 8550, o Distrito foi elevado à categoria de Município, com a denominação de Arco Iris, desmembrado do município de Tupã. Sua instalação verificou se em 01 de janeiro de 1997. Foi eleito seu primeiro Prefeito Municipal, o senhor Geraldo Borges de Freitas Filho. A Câmara Municipal é composta de 9 (nove) Vereadores. O Posto Indígena Vanuíre é formado por uma população indígena de aproximadamente 200 habitantes, entre Índios Caingangues e Krenaks.

ARCO ÍRIS - UMA CIDADE QUE RESPEITA A HISTÓRIA
União, respeito aos Direitos Humanos, e a Historia em Arco Iris,  esses princípios deixaram de ser conceitos teóricos para se transformar em pratica, e ação diária. A constatação de que em Arco-íris se busca a convivência pacífica entre todos, está em seu próprio nome, e na história do município, que começa em 1928, com a chegada do senhor João Florenço, oriundo de Glicério. Nos anos de 1940, quando começa a se formar a Vila Santa Helena, chega da região noroeste, da cidade de Braúna, o senhor Aurélio Moreno Zamora, considerado o fundador de Arco Iris.  A vila cresce e, atraindo pessoas de todo os cantos, começa a se desenvolver, principalmente, com a chegada do primeiro comerciante, o senhor Joaquim Dias, que dá início a atividade econômica na Vila, que até hoje se destaca pela agricultura e pelo comércio. A criação do distrito de ArcoIris, ocorre no dia 24 de dezembro de 1948, véspera do natal, pela Lei Estadualnº 233, graças á união de forças de Aurélio Zamora e José Morábito, que à época, lideravam  dois povoados existentes na vila. O nome do distrito foi escolhido pelos moradores dos dois antigos povoados, justamente para firmar o compromisso histórico de união, aliança, de “Comunhão do Povo com Deus”. Os anos foram passando, e as necessidades da comunidade de Arco Íris foram crescendo. Mas, era distrito ainda e,  por não ter como suprir as suas carências, muita gente foi embora em busca de melhores condições de vida, em centros maiores. Iniciava-se, então, a luta pela emancipação, que só terminou muito tempo depois, em 1993. Os primeiros a se mobilizar para transformar o distrito em município, foram os senhores Geraldo Borges de Freitas Filho, Orlando Sanches e Aldo Manzano. Há um consenso na cidade de que a conquista da autonomia só trouxe benefícios para a população, melhorando as condições de infraestrutura básica, de atendimento na área da saúde e na educação. Entre aqueles que sempre lutaram pelo progresso de ArcoIris, destacam-se os nomes de Aurélio Zamora, Orlando Sanches, Gentil Morábito, José Morabito, Carmelo Morábito, José Sanches, Raimundo Chagas e OdnirMagnani. A instalação do município ocorreu em 1º de janeiro de 1997, quando então, tomaram posse, o primeiro Prefeito de Arco Iris, o Vice-prefeito e os Vereadores. A estes coube a importante tarefa de elaborar a Lei Orgânica do Município, que dentre outros, tem um capítulo exclusivamente dedicado á questão indígena. A preocupação com os direitos das minorias, e com a preservação da história,  ficou registrado em vários artigos, e mais especificamente, com relação aos índios que ali habitam, o artigo 166 da LOM dispôs: “O Município protegerá a Aldeia Indígena Vanuire, e suas terras”. Legalmente demarcadas como reserva, as tradições, usos e costumes dos grupos indígenas ali radicados, passam a serem integrantes do Patrimônio Histórico, Cultural e Ambiental do Município. “Esta proteção estende-se ao controle das atividades econômicas que danifiquem o ecossistema, ou ameacem a sobrevivência física e cultural dos índios” E mais, os artigos 167 e 168, tratam da assistência social e econômica, da saúde, educação e cultura dos índios, bem como do desenvolvimento de programas integrados de ensino e pesquisa voltados á comunidade indígena. Arco Iris, que comemora a Semana Municipal do Índio, de 12 a 29 de abril, sempre teve uma população atuante, interessada pelo destino da cidade. Afinal, união e harmonia, fazem parte do cotidiano dos seus habitantes.
Os Primeiros Representantes - eleitos em 1996
PREFEITO MUNICIPAL: Geraldo Borges de Freitas Filho, casado com Ercília Sanches Monteiro de Freitas.
VICE - PREFEITO: José Petelin Rodrigues
CÂMARA MUNICIPAL – Vereadores: José Onofre, José Pimentel Neto, José Roberto Pessoa, Dorival dos Reis, Francisco Braz Chimatz, Pedro Riquena, Izildinha de Fátima Pantolfi Lima, Maria Benedita Valin Fernandes e Nivaldo Manzano Fernandes.
ESTE TEXTO É DE AUTORIA DO DEPUTADO EDINHO ARAÚJO, AUTOR DA LEI 651/90 DAS EMANCIPAÇÕES.
Gentílico: Arcoirense

GALERIA DE PREFEITOS

GERALDO BORGES DE FREITAS FILHO01/01/1997 à 31/12/2000
GERALDO BORGES DE FREITAS FILHO01/01/2001 à 31/12/2004
JOSÉ LUIZ DA SILVA01/01/2005 à 31/12/2008
JOSÉ LUIZ DA SILVA01/01/2009 à 31/12/2012
ANA MARIA ZONER LEAL SERAFIM01/01/2013 à 31/12/2016
ANA MARIA ZONER LEAL SERAFIM01/01/2017 à 31/12/2020

OBS.:  O Sr. GERALDO BORGES DE FREITAS FILHO, foi o primeiro Prefeito de Arco-Íris.