HISTÓRICO


A ORIGEM
À margem esquerda do riacho Cerradão, na paragem usada para pouso de boiadas, foi onde tudo começou em 1906. No atual o cruzamento da Avenida 9 de Julho, com a Rua 13 de Maio, antiga Rua do Comercio, popular e tradicionalmente conhecida por “Rua do Sapo” – por ser à beira do córrego, era povoada desse anfíbio - foi o lugar escolhido pelo fundador José Crescencio de Souza, para construir as três primeiras casas de pau-a-pique, marco inicial do futuro município.

FUNDAÇÃO DO POVOADO
Em 1908 chegaram os irmãos Manuel, Justino e Carlos Rodrigues de Sant’Anna, que em 1910, resolveram construir um patrimônio, doando treze alqueires de terra à Igreja. A primeira capela foi erguida em 1913, e o pequeno povoado que se formava recebeu o nome de Cerradão.

CRIAÇÃO DO DISTRITO
No ano seguinte a vila foi elevada a Distrito de Paz, através do Decreto Lei Estadualnº 1415, de 7 de julho de 1914. Grandes mudanças passam a ocorrer a partir de 1918, depois de Antônio Gonçalves da Silva, assumir o cargo de Escrivão de Paz, tornando-se um dos principais batalhadores pela emancipação política do distrito. Desse empenho, por força da Lei nº 2.007, de 23 de dezembro de 1924, o distrito de Cerradão é transferido do município de Rio Preto, para o de Mirassol. Através da Lei nº 1982, de 22 de outubro de 1924, o Distrito passou a denominar-se JOSÉ BONIFÁCIO, em homenagem ao Patriarca da Independência do Brasil.

REGISTROS DO HISTORIADOR – LINHA DO TEMPO
Segue-se então, um período de contínuo progresso. A antiga capela é substituída em 1919, por outra, com a frente voltada para a Avenida Campos Sales. - Essa capela, na década de quarenta, é demolida para abrigar a atual Igreja, construída sob o auspício do Cônego Maurício Caputo, pelo célebre edificador bonifaciano, Manoel da Silva Oliveira, o Mané Pedreiro. Para concluir o templo o Monsenhor Ângelo Angioni faz, nos anos noventa, as ampliações laterais da Matriz, em forma de cruz. - Constrói-se uma estrada interligando o distrito, desde o Salto do Avanhandava até São José do Rio Preto. Cria-se o Correio Federal, fundam-se as Escolas Reunidas, além de iniciar o arruamento da sede distrital.

CRIAÇÃO E EMANCIPAÇÃO DO MUNICÍPIO
Assim, através do Decreto Lei Estadual nº 2.177, de 28 de dezembro de 1926, é criado o Município de José Bonifácio, que é solenemente instalado, em 6 de junho de 1927, tendo como primeiro Prefeito Carlos Cassetari e primeiro Vice-prefeito Saturnino da Silva Queiroz. Sendo também eleitos para a Câmara Municipal, João Domingues do Amaral, primeiro Presidente e Pedro Brandão dos Reis, primeiro Vice-presidente. Por fim, a Comarca de José Bonifácio foi criada em 30 de novembro de 1938, pelo Decreto nº 9.775, desvinculando-se da Comarca de Rio Preto. Sendo o Dr. Euclides Custódio da Silva, o primeiro Juiz de Direito e, o Dr. Joaquim Bandeira de Melo, primeiro Promotor Público da Comarca de José Bonifácio.

BIOGRAFIA - JOSÉ BONIFÁCIO
Mais conhecido na história do Brasil como o Patriarca da Independência, quem foi José Bonifácio de Andrada e Silva, que tanto influenciou D. Pedro I, em sua Regência ? Que poder tinha esse homem para ser nomeado tutor dos filhos de D. Pedro I, mesmo após ter iniciado um amplo movimento de oposição ao Imperador? Brasileiro de família abastada, nascido em 1763, na cidade de Santos, José Bonifácio estudou Ciências Naturais e Direito em Coimbra, adquirindo considerável reputação como professor universitário. Após percorrer por dez anos várias regiões da Europa, retornou para Portugal, e em 1800 recebeu o título de doutor em filosofia, destacando-se também como geólogo e metalurgista, quando fundou a primeira cátedra de metalurgia lusitana. Tornando-se Intendente-Geral das Minas de Portugal, ganhou cargos de relevância, passando a chefiar a polícia do Porto, após a expulsão dos franceses que haviam invadido Portugal em 1807, durante a expansão napoleônica. Presente em nossa história desde o início do movimento de independência, José Bonifácio foi Presidente da Junta Governativa de São Paulo (1821), e posteriormente assessor e ministro de Dom Pedro, juntamente com seu irmão Martim Francisco. Tornou-se o principal organizador da Independência do Brasil com atuação destacada no processo constitucional. Seu liberalismo porem limitava-se ao discurso, ou a alguma literatura que produziu sobre a necessidade de abolição gradual da escravidão. Na prática foi um assumido defensor dos escravocratas. Nas eleições para Constituinte, José Bonifácio conseguiu fazer três dos seis representantes paulistas, colocando na liderança do grupo seu outro irmão Antônio Carlos. Atenuou as divergências políticas e ideológicas entre o Imperador e a Assembleia Constituinte, onde representava a corrente mais conservadora defendendo um Estado extremamente centralizado e a limitação do direito de voto, em oposição aos liberais radicais, que exigiam uma constituição liberal, a limitação dos poderes de Dom Pedro e a maior autonomia das províncias. Nesse contexto, a união dos Andradas com o Imperador foi de curta duração. O autoritarismo de José Bonifácio gerou severas críticas por parte da oposição e a perda de seu prestígio frente ao Imperador. Em junho de 1823,José Bonifácio foi frontalmente contrariado pelo Monarca que assinou um decreto anistiando revoltosos inimigos dos Andradas. No mês seguinte, José Bonifácio e Martim Francisco demitiam-se, enquanto Antônio Carlos se destacava como principal articulador do projeto constitucional na Assembleia Constituinte, mais tarde dissolvida pelo Imperador. Na oposição os Andradas passaram a combater tenazmente o governo de Dom Pedro não somente na Assembleia, mas sobretudo no Tamoio, jornal que fundaram em agosto de 1823, e cujo título, nome de uma tribo famosa pela aversão que tinha aos portugueses, mostra claramente sua orientação. O Tamoio, era muito bem redigido, mas os princípios democráticos em seus editoriais, contrastava-se com o autoritarismo que marcou os Andradas na época em que eram ministros. Outro jornal de oposição, o Sentinela da Liberdade, à beira do mar da Praia Grande, auxiliava o Tamoio em suas investidas contra o Imperador. Com a dissolução da Constituinte, José Bonifácio, seus irmãos e alguns partidários, foram deportados para Europa. Publicando um caderno de poesias sob o pseudônimo arcádico de Américo Elísio, José Bonifácio foi considerado o mais notório brasileiro de seu tempo. De volta ao Brasil, foi residir na ilha de Paquetá, reaproximando-se de Dom Pedro I, que após abdicar ao trono, indicou-o como tutor de seu filho (futuro D. Pedro II). Suspeito de participar da conspiração que pretendia restaurar Dom Pedro I, e foi acusado de crime político e preso em 1833, sendo julgado e absolvido por unanimidade. Em seus últimos dias de vida mudou-se para cidade de Niterói, onde faleceu em 1838. Legítimo representante das elites rurais José Bonifácio foi um político conservador que odiava a democracia, e não hesitava em lançar tropas contra as massas. Suas propostas de caráter mais progressista, como a abolição gradual da escravidão e a distribuição de terras inutilizadas para lavradores pobres, são circunstanciais, refletindo a inevitável influência dos princípios iluministas naquela época. Se procurarmos entender o que de fato representou o estadista José Bonifácio na realidade histórica marcada pelo processo de formação do Estado Brasileiro, encontraremos um personagem extremamente conservador e até reacionário, já que quase tudo nele, girava em torno dos interesses da aristocracia rural escravista, a classe social, que José Bonifácio efetivamente representou ao longo de sua vida política.

FORMAÇÃO ADMINISTRATIVA
Em divisão administrativa referente ao ano de 1933, o município de José Bonifácio compõe-se de 2 Distritos: José Bonifácio e Ubarana. Em divisões territoriais datadas de 31/12/1936 e 31/12/1937, bem como no quadro anexo ao Decreto¬ Lei Estadual nº 9073, de 31 de março de 1938, o município de José Bonifácio pertence ao termo judiciário de Rio Preto, da comarca de Rio Preto, e se divide em 2 Distritos: José Bonifácio e Ubarana. No quadro fixado, pelo Decreto Estadual nº 9775, de 30 de novembro de 1938, para 1939/1943, o município de José Bonifácio é composto dos Distritos de José Bonifácio e Ubarana, e é termo da comarca de José Bonifácio, formada de 1 único termo, José Bonifácio. Em virtude do Decreto Lei Estadual nº 14334, de 30 de novembro de 1944, que fixou o quadro territorial para vigorar em 1945/1948, o município de José Bonifácio ficou composto dos Distritos de José Bonifácio e Ubarana, comarca de José Bonifácio. Assim permanece nos quadros fixados pelas Leis nº 233, de 24/12/1948 e nº 2456, de 31/12/1953, para vigorar em 1949/1953 e 1954/1958. A Lei Estadual nº 5285, de 18 de fevereiro de 1959, cria o Distrito de Salto do Avanhandava, e incorpora ao município de José Bonifácio. Em divisão territorial datada de 01/07/1960 o município de José Bonifácio é formado de 3 Distritos: José Bonifácio, Salto do Avanhandava e Ubarana. A Lei nº 7644, de 30 de dezembro de 1991, desmembra do município de José Bonifácio, o Distrito de Ubarana. Em divisão territorial datada de 01/06/1995, o município é constituído do Distrito Sede. Assim permanecendo em divisão territorial datada de 15/07/1999.
Fonte: Jorge José Bitar
Gentílico: Bonifaciano

GALERIA DE PREFEITOS

CARLOS CASSETARI1927 à 1930
SEBASTIÃO PEREIRA LIMA1931 à 1932
CARLOS CASSETARI1933 à 1938
DR. JOSÉ MENDES RIBEIRO1938 à 1941
DR. CARLOS NÉRI DA COSTA1941 à 1943
ARMANDO REINO1943 à 1945
ACRISIO XAVIER CANSADO1945 à 1946
PEDRO BRANDÃO DOS REIS1946 à 1950
EURIDES PEREIRA1950 à 1952
RUBENS SPINOLA DO AMARAL1952 à 1956
MARIO JOSÉ NONATO1956 à 1960
RUBENS SPINOLA DO AMARAL1960 à 1963
RICIERI RODANTE1963 à 1969
JOÃO FELIX DE MENDONÇA1969 à 1973
MOACIR ZAMARRENHO1973 à 1977
JOÃO FELIX DE MENDONÇA1977 à 1983
NELSON VENDRAMINI1983 à 1988
MIGUEL ROSSI1989 à 1992
LUIZ FACHINI SOBRINHO01/01/1993 à 31/12/1996
MIGUEL ROSSI01/01/1997 à 31/12/2000
LUIZ FACHINI SOBRINHO01/01/2001 à 31/12/2003
CELSO OLIMAR CALGARO2003 à 31/12/2004
CELSO OLIMAR CALGARO01/01/2005 à 31/12/2008
DR. PEDRO JOSÉ BRANDÃO DOS REIS01/01/2009 à 31/12/2012
EDMILSON PEREIRA ALVES01/01/2013 à 31/12/2016
CELSO OLIMAR CALGARO01/01/2017 à 31/12/2020

OBS.: O Sr. CARLOS CASSETARI, foi o primeiro Prefeito de José Bonifácio.