HISTÓRICO


A ORIGEM
Foi aproximadamente em 1948, que se deu à formação do povoado de Ouroeste. Atraídos pela fertilidade do solo e pela localização, foram chegando os primeiros moradores, desbravando os sertões da região. Ergueram-se as primeiras casas de pau-a-pique, iniciou-se o período de colonização com as plantações e a criação de animais. Com o tempo, formou-se um vilarejo, logo veio à primeira casa comercial. Com isso, surgiram os primeiros comerciantes, que buscavam atender as pessoas que lá estavam morando.

FUNDAÇÃO DO POVOADO
A fundação da Vila foi oficialmente, em 27 de janeiro de 1952,pelo agropecuarista senhor João Zeferino Ferreira Velloso, e ganhou o nome por seu fundador, devido sua localização geográfica, a noroeste do Estado e por causa da terra fértil – “terra que valia ouro”, terras por ele doadas. Nesta data foi celebrada a primeira missa, e erguido o Cruzeiro, onde hoje está localizada a Igreja da Matriz. Com o passar do tempo, novos moradores começaram a surgir, e a Vila foi crescendo e chamando a atenção pela sua produção. Com isso passou a ser povoado, fazendo parte do então município de Guarani D’Oeste, em 1º de janeiro de 1959. Em 1960, foi eleito o primeiro Prefeito de Guarani D’Oeste, o senhor Antônio Hernandes (in memóriam), município que Ouroeste passou a pertencer desde então. Devido ao seu desenvolvimento, Ouroeste ganhou projeção, e com isso passou a ser superior a sede do município. Com a implantação e construção da Usina Água Vermelha (iniciada em 1974), localizada em suas terras, muitas famílias de outras localidades foram chegando e se instalando em Ouroeste, onde a CESP construiu várias casas, transformando em núcleo residencial para alojar os trabalhadores, que estavam na construção da Usina Hidrelétrica de Água Vermelha. Junto foi construída a pista do aeroporto, o hotel, e isto contribuiu muito e acelerou o processo de crescimento e desenvolvimento de Ouroeste. Em 1968, o colégio eleitoral de Ouroeste cresce e supera o da sede, e o povoado de Ouroeste foi marcado por sucessivos desenvolvimentos, tornando maior do que a própria sede, o município de Guarani D’Oeste.

CRIAÇÃO DO DISTRITO
Em 1990, precisamente no dia 16 de outubro, Ouroeste foi elevado à categoria de Distrito pela Lei Municipal nº 398, e não parou por aí. Contando com várias lojas, supermercados, agências bancárias e principalmente com força política, pois os governantes do município de Guarani D’Oeste eram sempre de Ouroeste, então começou um processo de emancipação política. O autor do projeto de Lei que elevou Ouroeste à categoria de Distrito, que na época era Vereador, foi o ex Prefeito senhor Edvaldo Fraga da Silva.

CRIAÇÃO E EMANCIPAÇÃO DO MUNICÍPIO
Então, através de um plebiscito, a população votou pela emancipação. Foi aí que, em 27 de dezembro de 1995, através do Decreto Lei Estadual nº 9.330/95, o ex Governador Mário Covas sanciona a Lei, criando o Município de Ouroeste, baseado na Lei que impedia o Distrito de ser maior que a sede, que na época Ouroeste, até então Distrito, possuía 5 mil habitantes, e o município sede, Guarani D’Oeste possuía 2 mil habitantes. A partir de então, Ouroeste tornou-se Município, e já tem seu próprio governo desde 1997. O primeiro Prefeito do Município de Ouroeste foi empossado em 1º de janeiro de 1997, o senhor Nelson Pinhel e o Vice-prefeito, Sebastião Geraldo da Silva.

ORIGEM DO NOME
Por causa da terra fértil – “TERRA QUE VALIA OURO”, e devido sua localização geográfica, a noroeste do Estado.
Fonte:
Autor do Texto Histórico: Jornalista Cezar Silva

SÓ PODIA SER MUNICÍPIO
Ouro, índios Guarani, corrida para o Oeste... Isso tudo faz parte da história de duas cidades. Guarani D’Oeste e Ouroeste, que nasceram juntas, desenvolveram-se interligadas e agora, independentes, traçam seus próprios caminhos. Foi aproximadamente na mesma época, em 1948, que se deu a formação dos dois povoados, cabendo a Antônio Zacarias de Oliveira e Emídio Nogueira, a fundação da Vila de Guarani D’Oeste – cujo nome foi inspirado na cachoeira dos Índios, e ao agropecuarista João Veloso,  a fundação da Vila de Ouroeste, em 1951, quando nas terras por ele doadas foi erguido o cruzeiro. O nome de Ouroeste foi dado por seu fundador por causa da terra fértil – “terra que valia ouro e ficava no Oeste”. Embora as duas cidades se igualassem em quase tudo, Guarani D’Oeste foi elevada á categoria de distrito de Fernandópolis, em 1953, transformando-se em Município, pela Lei nº 5285, de 18 de fevereiro de 1959. A luta pela emancipação de Ouroeste envolveu uma dura batalha judicial. Começou quando, em 1.990, os onze vereadores da Câmara Municipal de Guarani D’Oeste aprovaram por unanimidade o projeto de Lei do então vereador Edvaldo Fraga da Silva, transformando Ouroeste em distrito. A Lei nº 398, de 16 de outubro de 1.990, foi assim, o primeiro passo rumo à emancipação. Inconformada com tal decisão, a Prefeitura de Guarari D’Oeste recorreu á Justiça, através de um Mandado de Segurança, para impedir a eficácia dessa lei, invocando a legislação federal que impedia o distrito de ser maior que a sede. Nessa época, Ouroeste tinha cinco mil habitantes e Guarani D’Oeste, dois mil. Após perder nas duas instâncias, não houve mais como impedir a Ouroeste de pleitear a sua emancipação, o que foi conquistado em 1995, com amplo apoio da população. “A emancipação foi muito boa para Ouroeste. A cidade já tinha uma boa infraestrutura e agora poderá melhorar ainda mais o padrão de vida de seus moradores”, afirma Edvaldo Fraga da Silva, que além de Vereador (autor do projeto de lei que elevou Ouroeste à categoria de Distrito) foi vice-prefeito de Guarani D’Oeste, na época Município-sede. Edvaldo vem de uma família de pioneiros. Nasceu em Castro Alves, na Bahia, mas chegou à região aos seis anos de idade, junto com seus oito irmãos (que depois viraram 13), trazido pelos pais - Isauro Fraga da Silva e Ilza Cecília dos Santos. Depois de vender fumo em folha e em rolo na região de Votuporanga, em 1958, Isauro decidiu estabelecer-se com sua família, em Jales, na fazenda de Tomio Okajima. Algum tempo depois, Okajima comprou uma fazenda em Arabá e para lá levou a família de Isauro. Mas o tempo passou, e hoje Arabá, que, segundo consta, foi a primeira vila da região, antes mesmo que Guarani D'Oeste e Ouroeste, é distrito desse novo município, beneficiando-se das melhorias que ali têm sido implementadas. Com uma arrecadação mensal em torno de 450 mil reais, dos quais 90 por cento vêm do pagamento de ICMS da Usina Hidrelétrica de Água Vermelha, no rio Grande, instalada no município desde 1.978, Ouroeste tem uma receita bem maior do que a maioria dos novos municípios. E por causa desta arrecadação, Ouroeste já tinha uma boa qualidade de vida, mesmo enquanto distrito. A cidade está asfaltada, tem creche, rede de água e esgoto em praticamente todos os bairros, duas escolas de primeiro e segundo graus, agências bancárias e um hospital com 51 leitos. Com tantas condições para atender às necessidades de sua população e firmar-se com independência, Ouroeste só podia ser Município – mais um progressista município paulista.
Primeiros representantes eleitos em 1996:
Prefeito Municipal: Nelson Pinhel, casado com a senhora Laiz Terezinha BiliaziPinhel.
Vice Prefeito: Sebastião Geraldo da Silva.
Câmara Municipal: Vereadores – João Fachine Maticoli, Neusvaldo Alexandre da Silva, Gilmar Di Marchi Lopes, José Osmar Rugno, Vander Mota, Antônio Carlos Pereira Gomes, Wilson Rocha, Amaro Ventura e Sebastião Cândido da Silva.
ESTE TEXTO É DE AUTORIA DO DEPUTADO EDINHO ARAÚJO, AUTOR DA LEI 651/90 DAS EMANCIPAÇÕES.
Gentílico: Ouroestense

GALERIA DE PREFEITOS

NELSON PINHEL01/01/1997 à 31/12/2000
EDVALDO FRAGA DA SILVA01/01/2001 à 31/12/2004
NELSON PINHEL01/01/2005 à 31/12/2008
NELSON PINHEL01/01/2009 à 31/12/2012
SEBASTIÃO GERALDO DA SILVA01/01/2013 à 31/12/2016
LÍVIA LUANA COSTA OLIVEIRA01/01/2017 à 31/12/2020

OBS.: O Sr. NELSON PINHEL, foi o primeiro Prefeito de Ouroeste.