HISTÓRICO


A ORIGEM
Com o nome inicial de SÃO JOSÉ DO PARAISO, tendo como padroeiro São José. Era um antigo Distrito do município de Jaboticabal. São José do Paraiso, em seguida, passou a denominar-se sucessivamente: São José de Tayassu e depois Tayassu.

FUNDAÇÃO DO POVOADO

O povoado de Taiaçu foi fundado em 19 de março de 1886. Seus fundadores foram: Antônio Zeferino Gonçalves, José Belizário Vieira, Ezequiel Alves Santana e José Gabriel da Fonseca, que aqui possuíram propriedades e mais tarde, foram doadas para que a cidade fosse formada e povoada.

CRIAÇÃO DO DISTRITO
O povoado de Tayassu foi elevado à categoria de Distrito de Paz, através do Decreto Lei nº 873, de 09 de setembro de 1903, e sua instalação, verificou se em 09 de dezembro de 1903, com o Distrito pertencendo ao município de Jaboticabal.

CRIAÇÃO E EMANCIPAÇÃO DO MUNICÍPIO
O Distrito de Paz de Tayassu, finalmente foi elevado á categoria de Município, pela Lei Estadual nº 2.456, de 30 de Dezembro de 1953, e foi instalado em 01 de Janeiro de 1955, e foi composto de um só distrito, pertencente à Comarca de Jaboticabal, cuja Lei alterava também a grafia de seu nome para TAIAÇU.
O primeiro prefeito foi o senhor Zeferino Bernardo Sobrinho, que governou o município de 1955 a 1958, sendo este um grande batalhador pela conquista da emancipação política do município. Veio a falecer, aos 75 anos de idade, e está sepultado no cemitério local.
 O primeiro Vice Prefeito foi José Bahú, farmacêutico de profissão, exerceu também o segundo mandato de prefeito, no período de 1959 a 1962, e depois foi vereador no período de 1967 a 1969. Faleceu em 02/06/1972, com 61 anos, e está sepultado no cemitério da cidade de Monte Alto.
Os primeiros Vereadores eleitos foram: Alfredo Cadamuro, Raymundo de Paula Pinto, Avelino Paulino dos Santos, José Tácito Fonseca Leite, Afonso Pacheco, Alfredo Reami, Guerino Molaro, Natal Matheus Sciarra, Paschoal Marasco e Santo Pedrazolli.

ORIGEM DO NOME
TAYASSU é uma palavra de origem indígena, do tupi, que significa QUEIXADA, um tipo de porco-do-mato.

BIOGRAFIA – ANSELMO BISPO DOS SANTOS – FUNDADOR DA ESCOLA ESTADUAL
Anselmo Bispo dos Santos nasceu aos 21 de Abril de 1886, na Fazenda Capoeirão, numa casa de barro, no Distrito de Tayassú. Era filho único de Gerônimo Paulino dos Santos e Rita Dioniz de Jesus dos Santos, era descendente de brancos, negros e índios.
Anselmo foi casado com Maria Ambrósio Vieira, conhecida como “Dona Mariquinha”, e tiveram os seguintes filhos: João Francisco dos Santos (Sr. João da Farmácia), Zeferino Antônio dos Santos, Francisca dos Santos Giassi (Chiquita), Joaquim Onório dos Santos (Quinzinho), Izaltina dos Santos Oliveira, Arnaldo Felício dos Santos, Olga Angelina dos Santos Zuculo, Avelino Paulino dos Santos (Professor Geraldo), e Odilon Brigido dos Santos.
O senhor Anselmo Bispo dos Santos herdou do seu pai 1/9 da sua propriedade e outros 2/9 dos seus tios. O restante foi conseguido auxiliando o seu pai Gerônimo. Este comprava gado em Minas Gerais e revendia na região. Construiu engenho e moinho. Vendia rapadura, melaço, farinha de mandioca e milho, e produtos agrícolas em São Carlos do Pinhal (hoje São Carlos), Descalvado, São José do Rio Preto e Rio Claro. As viagens duravam 15 dias de carro de boi. Na volta trazia querosene e outros utensílios industrializados para abastecer as vendas da região. Era proprietário da Fazenda São Pedro, no Bairro Capoeirão, onde Anselmo trabalhava desde menino, enquanto seu pai viajava.
Anselmo Bispo dos Santos, também morou na fazenda, cuja casa de barro nasceu, e em Taiaçu na Rua Raul Maçone, número 301, em frente à Prefeitura.

ATIVIDADE POLÍTICA
Anselmo Bispo dos Santos assumiu a sua primeira gestão na Sub Prefeitura, no período de 1930 a 1935, no pior momento econômico brasileiro (após a quebra da Bolsa de Nova York) em 1929, quando os E.U.A. entra em uma grande recessão, causando quebradeira geral no país e no mundo inteiro. Ninguém queria a pasta de Sub Prefeito naquele momento que Anselmo assumiu. Sub Prefeito não tinha remuneração. Na sua segunda gestão – 1940 a 1946 foi outro período difícil: a Segunda Guerra Mundial.
Descontente com o desprezo do Estado com a região, e revoltado com a situação crítica que Tayiassu passava, apoiou a Revolução de 1932, doando um cordão de ouro, a sua aliança de casamento e a da esposa, juntamente com mais 19.000 contos de réis, constando no Livro de Ouro do Estado. O Estado abandonara a região e Tayassu ficou ilhado.
Diante disto, lutou e conseguiu a abertura e reabertura de várias estradas: como a do Taboado, Boiadeira e outras. Cita a ponte feita pelo engenheiro e escritor Euclides da Cunha (com 21 metros de extensão, suas ruínas estão ao lado da ponte do Turvo, no caminho de Ibitirama), e a reabertura de estrada com 13 metros de largura (estrada do Taboado com 500 dias de serviços), conforme informa em ofício, ao Interventor Estadual Dr. Fernando Costa. Construiu também a ponte do Turvo Taiaçu – Taiuva, desativada com a construção da vicinal pavimentada. Construiu uma escola na sua fazenda, com moradia para o professor e foi denominada de “Escola Rodrigues Alves”.
Anselmo conseguiu a doação do terreno, para a construção da futura Escola Estadual, pela senhora Concheta Sciarra (irmã do senhor Júlio Sciarra) e esposo. Conseguiu também a verba para a construção da Escola, com dois andares, no final da sua segunda gestão com grande ajuda do Dr. Antônio Roque Geraldo. Ajudou também o município de Taiuva na construção da Escola Rural do Córrego Baptista.
Executor de inúmeras obras que beneficiavam a população, e diante da falta de recursos públicos, o senhor Anselmo, vendeu o seu carro particular, um Ford 1929, para a construção do Jardim Público e a aquisição da Bomba D’agua. O jardineiro contratado foi o senhor José Geraldelli.
Juntamente com outras autoridades, ajudaram o Hospital Santa Isabel doou o primeiro aparelho de Raio X da região, que funcionava no Posto de Saúde “Dr.Carneiro” em Jaboticabal.
Anselmo Bispo dos Santos não nasceu fazendeiro, tampouco um Senhor ou Coronel. Já era fazendeiro quando entrou na política, saindo da política com a mesma quantidade de terras e bens que possuía. Obteve ajuda de muitas pessoas que contribuíram para que Taiaçu não parasse no tempo e também praticou muita doação. Sempre rodeado de pessoas e amigos que ajudavam a cidade sem nenhum interesse pessoal.
Na madrugada de 09 de outubro de 1954, Anselmo Bispo dos Santos, veio a falecer no Hospital Santa Isabel, onde estava internado. Taiaçu perdia assim, um dos seus mais ilustre cidadão. Hoje, graças à observação e levantamentos históricos da cidade de Taiaçu realizada pelo professor e diretor Oswaldo Pontieri da Silva, o indicou como Patrono da Escola “Anselmo Bispo dos Santos”, na mais justa das homenagens, desde 1971.

EMPRESA TELEFÔNICA TAIAÇU
O senhor Caetano Bernine Netto, na época, importante fazendeiro de café no município, participou ativamente da campanha para a criação da Empresa Telefônica de Taiaçu, doando na ocasião o “Tronco Telefônico” para que se tornasse possível tamanha realização. Foi também o construtor e doador do prédio do Teatro Municipal, onde hoje está instalada a Câmara Municipal, o Centro Cultural, Biblioteca e a APAE.
Fonte: Guilherme Martiniano dos Santos – Professor de História – 23/03/2006.
Augusto César dos Santos – Professor Coordenador da Escola Estadual ”Anselmo Bispo dos Santos”.
Participação dos netos e dos filhos: Francisca (tia Chiquita), Olga, Odilon e Arnaldo (in memoriam) na interpretação dos fatos, fotos e personagens.
Colaboração: Departamento de RH da Prefeitura do Município de Taiaçu.

FORMAÇÃO ADMINISTRATIVA
Distrito criado com a denominação de Taiçú (Tayaçú), por Lei Estadual nº 873, de 09 de setembro de 1903, no Município de Jaboticabal. Em divisão administrativa do Brasil, referente ao ano de 1911, figura no Município de Jaboticabal o Distrito de Taiaçú (Tayaçú). Assim permanecendo em divisão administrativa referente ao ano de 1933. Em divisões territoriais datadas de 31-XII-1936 e 31-XII-1937, bem como no quadro anexo ao Decreto-lei Estadual nº 9073, de 31 de março de 1938, o distrito está grafado Taiassú e pertence ao Município de Jaboticabal. Em 1936 e 1937, Taiassú é distrito apenas judiciário. Distrito anteriormente grafado ?Taiassú?, pertencendo ao Município de Jaboticabal. Em virtude do Decreto-lei Estadual nº14334, de 30 de novembro de 1944, que fixou o quadro territorial para vigorar em 1945-1948, o Distrito de Taiaçu permanece no Município de Jaboticabal, bem como no fixado pela Lei nº 233, de 24-XII-1948 para vigorar em 1949-1953. Elevado à categoria de Município pela Lei Estadual nº 2456, de 30 de dezembro de 1953, desmembrado de Jaboticabal. Constituído do Distrito Sede. Sua instalação verificou-se no dia 01 de janeiro de 1955. Em divisão territorial datada de 01-VII-1960, o Município é constituído do Distrito Sede. Assim permanecendo em divisão territorial datada de 15-VII-1997.
Gentílico: Taiaçuense
Fonte: IBGE

GALERIA DE PREFEITOS

ZEFERINO BERNARDO SOBRINHO1955 à 1958
JOSÉ BAHÚ1959 à 1962
EVARISTO BARÇANELI1963 à 1966
ANTÔNIO SCABINI1967 à 1969
BENEDITO SANCHES1970 à 1972
JOSÉ BUENO DE GODOY1973 à 1976
JOAQUIM DE FREITAS NAZÁRIO FILHO1977 à 1982
JOSÉ BUENO DE GODOY1983 à 1988
IVO EVILÁSIO TADEU BARÇANELI1989 à 1992
JAMIRO APARECIDO BIANCARDI01/01/1993 à 31/12/1996
LUIZ ANSELMO ZUCULO01/01/1997 à 31/12/2000
ANTÔNIO RODRIGUES CALDEIRA01/01/2001 à 31/12/2004
SUELI APARECIDA MENDES BIANCARDI01/01/2005 à 31/12/2008
ANTÔNIO RODRIGUES CALDEIRA01/01/2009 à 31/12/2012
WLADIMIR SANCHES01/01/2013 à 31/12/2016
SUELI APARECIDA MENDES BIANCARDI01/01/2017 à 31/12/2020

OBS.: O Senhor ZEFERINO BERNARDO SOBRINHO, foi o primeiro prefeito de Taiaçu.