AGUDOS

AGUDOS



AGUDOS



AGUDOS



AGUDOS



AGUDOS




Memorial

AGUDOS
AGUDOS

Prefeitura Municipal de Agudos

Praça Tiradentes, 650 - Centro
CEP: 17120-000
Fones: (14) 9741-7781 - 3261-3008 | Fax: 3262-8528
Email: gabinete@agudos.sp.gov.br
Site: www.agudos.sp.gov.br

 

 

HISTÓRICO

 

A ORIGEM
Até meados do século XIX, selvagens dominavam completamente o Oeste Paulista (tribo dos Caingangues). A partir daí começam a aparecer na região, paulistas e mineiros, os primeiros exploradores de terra para agricultura. Dentre eles, destacam se três nomes de grande importância para a história de Agudos: Faustino Ribeiro da Silva, Cel. Delfino Alexandrino de Oliveira Machado e Capitão Benedicto Ottoni de Almeida Cardia. Nesta época, Agudos chamava se inicialmente “São Paulo dos Agudos”, por São Paulo ser o padroeiro da cidade e situar-se na Serra dos Agudos.

FUNDAÇÃO DO POVOADO
O senhor Faustino Ribeiro da Silva, mineiro, veio para esta região por volta de 1853, quando adquiriu grandes extensões de terra. Em 1893 doou uma parte dessa área (aproximadamente 13 alqueires) à Igreja, onde foi construída a primeira capela em torno da qual São Paulo dos Agudos se desenvolveu, a partir de um pequeno povoado, a partir do Largo da Matriz.
Um pouco mais tarde na década de 80 do século XIX, residindo em Lençóis Paulista, transferiram-se para São Paulo dos Agudos os agricultores: Cel. Delfino Alexandrino de Oliveira Machado e seu genro Capitão Benedicto Ottoni de Almeida Cardia, reconhecendo a superioridade das terras no município, em relação às de Lençóis Paulista, ideais para o plantio de café. Aqui estava o futuro da agricultura na qual estavam interessados: A Serra dos Agudos.

CRIAÇÃO DO DISTRITO
O Cel.Delfino, líder político em Agudos dedicou grande parte da sua vida, com trabalho incansável para que Agudos se firmasse como uma cidade próspera e influente. Tinha acesso às esferas mais altas do governo, tendo sido o autor da representação pedia para Agudos ser elevado à categoria de Distrito de Paz, o que ocorreu através do Decreto Lei Estadual nº 514, em 02 de agosto de 1897. O povo de Agudos elege-o primeiro Juiz de Paz do Distrito.

CRIAÇÃO E EMANCIPAÇÃO DO MUNICÍPIO
No ano seguinte, o Cel. Delfino, empenhou-se também para que o mesmo Distrito de Paz fosse elevado à categoria de Município, o que também ocorreu através do Decreto Lei Estadual nº 543, de 27 de julho de 1898, desmembrando se do município de Lençóis Paulista. Sua instalação ocorreu em 20 de fevereiro de 1899. Nesta data foi formada a Primeira Câmara Municipal de Agudos – Presidente: Cel. Joaquim Ferreira Souto, Vice-presidente: Ten.Cel. Cândido Cunha Nepomuceno, Vereadores: José Celidônio Gomes dos Reis Netto, Major Gasparino de Quadros e Egídio Freire Penteado. Encaminhou também uma representação ao Presidente do Estado para que Agudos conquistasse a Comarca, quando foi promulgada a Lei Estadual nº 635, de 22 de julho de 1899, que transfere para a “Vila de São Paulo dos Agudos” a sede da Comarca de Lençóis Paulista.
A prefeitura municipal de Agudos, nesta época, tinha em seus quadros os seguintes funcionários:
SECRETÁRIOS – Major Eloy de Almeida Cardia e Belarmino Ferraz.
COLETOR – Olímpio Floriano de Freitas
PORTEIRO– Antônio Rodrigues Ferraz
ARRUADOR FISCAL – Adolfo Gordo
O Capitão Benedicto Ottoni, próspero agricultor, empreendedor, corajoso, honesto, estimado por todas as camadas sociais da população foi eleito o primeiro Prefeito Municipal de Agudos (cargo chamado na época de Intendente) eleito em 20 de fevereiro de 1899. Portanto são de grande importância para a história de Agudos os nomes de: Faustino Ribeiro da Silva – o doador das terras, Cel. Delfino Alexandrino de Oliveira Machado – o articulador político e Capitão Benedicto Ottoni de Almeida Cardia – o Administrador.

ORIGEM DO NOME
João Mendes de Almeida, que durante anos dedicou-se à interpretação dos nomes dados pelos indígenas às localidades brasileiras e acidentes topográficos, no dicionário geográfico de sua autoria, cita vários morros e serras existentes no Estado de São Paulo com a mesma designação (Agudo e Agudos) e conclui que “todos esses morros e serras têm encostas íngremes ou a pique, formando extensos e alcantilados paredões”. Nesses morros agudos, o cimo é área extensíssima de chapadas, o que contrasta com o nome de Agudos. Inicialmente, Agudos chamava-se São Paulo dos Agudos por situar-se na Serra dos Agudos. Em 20 de dezembro de 1905, o Decreto Lei Estadual nº 975, simplificou para AGUDOS, a toponímia da cidade, do município e do distrito de São Paulo dos Agudos.

REGISTROS DO HISTORIADOR – LINHA DO TEMPO
Em 1903, é inaugurada a Cia. Paulista de Estrada de Ferro e a Estrada de Ferro Sorocabana.
Em 1905, A Lei nº 975, de 20 20/12/1905 altera a denominação de São Paulo dos Agudos, para Agudos. No mesmo ano tem início a construção da Igreja Matriz.
Em 1907, é lançada a primeira pedra da Cadeia Pública, na Praça Tiradentes.
Em 1910, é construído o Theatro São Paulo, que posteriormente se transformou em Cine Theatro São Paulo.
Em 1929, é construído o novo edifício do Hospital de Agudos.
Em 1932, Agudos participa da Revolução Constitucionalista de 1932.
Em 1936, Desembarcam em Santos as Irmãs Franciscanas de Siensen.
Em 1944, os Pracinhas agudenses participam da 2ª Guerra Mundial.
Em 1947 à 1955, em apenas 8 anos é construído o Seminário Santo Antônio de Agudos.
Em 1953, foi lançada a “Cervejaria Vienense” com fábrica em Agudos.
Em 1957, tem início as obras da Sociedade Agro Florestal Monte Alegre.
Em 1959, o prefeito Augusto Siqueira promulga a Lei que dispõe sobre a instituição do Brasão de Armas do Município de Agudos.
Em 1961, a A.C.P. Cerveja Vienense é transformada em Companhia Cervejaria Brahma, filial Agudos.
Em 1968, o prefeito João Ferreira Silveira, promulga a Lei que dispõe sobre a instituição da Bandeira de Agudos.
Em 1995, foi criado o município de Paulistânia, emancipando-se o distrito de mesmo nome do município de Agudos.
Pesquisa: Texto extraído da Obra, - Agudos 100 anos de história – 1898/1998.
Autora: Profa. Maria (Lya) De Rosa.
Fonte: Secretaria Municipal de Esporte, Lazer e Turismo – Secretário: José Otaviano Delazari
Colaboração: Flaviano José Garcia – Textos e Fotos.

FORMAÇÃO ADMINISTRATIVA
Pela Lei Estadual nº 1225, de 16/12/1910, o distrito de Piratininga é anexado ao município de Agudos. Desmembrado do município de Bauru. Em divisão administrativa do Brasil referente ao ano de 1911, o município de Agudos se compõe de 02 Distritos: Agudos e Piratininga. Pela Lei Estadual nº 1395, de 17/12/1913, desmembra de Agudos o distrito de Piratininga. Elevado à categoria de município. Pela Lei Estadual nº 1494, de 29/12/1915, o distrito de Tupã é anexado ao município de Agudos. Desmembrado do município de Lençóis. Em divisão territorial datada de 1933, o município é constituído de 02 distritos: Agudos e Tupã. Pelo Decreto Lei nº 6789 de 23/10/1934, é criado os distritos de Santa Cruz da Boa Vista e Bandeirantes, anexados ao município de Agudos. Em divisões territoriais datadas de 31/12/1936 e 31/12/1937, bem como no quadro anexo ao Decreto-Lei Estadual nº 9073, de 31 de março de 1938, figura o referido município, com 04 Distritos: Agudos, Bandeirantes, Santa Cruz da Boa Vista e Tupã. Pelo Decreto Lei Estadual nº 9775, de 30/11/1938, desmembra de Agudos o distrito de Tupã. Sob o mesmo decreto acima citado o distrito de Santa Cruz da Boa Vista passou a denominar-se Dona Amélia. No quadro fixado para vigorar no Período de 1939/1943, o município é constituído de 03 distritos: Agudos, Bandeirantes e Dona Amélia (ex Santa Cruz da Boa Vista). Pelo Decreto-Lei Estadual nº 14334, de 30/11/1944, o distrito de Dona Amélia passou a denominar-se Domélia, e o distrito de Bandeirantes a denominar-se Paulistânia. Em divisão territorial datada de 01/07/1950, o município é constituído de 03 distritos: Agudos, Domélia (ex Dona Amélia) e Paulistânia (ex Bandeirante). Assim permanecendo em Divisão Territorial datada de 01/07/1960. Pela Lei Estadual nº 9330, de 27/12/1995, desmembra do município de Agudos o distrito de Paulistânia. Elevado à categoria de município. Em divisão territorial datada de 15/07/1997, o município é constituído de 02 distritos: Agudos e Domélia. Assim permanecendo em divisão territorial datada de 14/05/2001.

AGUDOS - RIQUEZA ARQUITETÔNICA
A riqueza arquitetônica e histórica de Agudos é um dos grandes diferenciais da cidade, onde se localiza o maior seminário da América Latina, o Seminário Seráfico Santo Antônio.
A cidade tem várias antigas fazendas cafeeiras, com casarões coloniais preservados. Localizado sobre a região do Aquífero Guarani, o lençol freático de Agudos é composto por grande quantidade de nascentes de importantes rios da região, como o rio Batalha, Lençóis e Turvo.
O município possui também diversas cachoeiras e quedas de água, e o Parque Ecológico Açucena da Serra, que abriga espécies da flora e fauna regional. A população, vê nesta classificação do M.I.T. uma nova possibilidade de desenvolvimento da economia local, que deverá resultar num significativo avanço na melhoria da qualidade de vida da população, com a perspectiva de abertura de novos postos de trabalho, geração de novos negócios e renda.
A cidade planeja investir em obras para aprimorar a atividade turística e dotar de estrutura receptiva para aumentar e qualificar o fluxo de turistas. Faz parte dos planos do prefeito estruturar o paisagismo das praças e espaços públicos, melhorar a sinalização urbana e implantar painéis de led nos portais de entrada da cidade, além de melhorias nas vias urbanas e rurais.
Fonte: Revista Municípios de São Paulo

A MELHOR ÁGUA DO INTERIOR DO ESTADO
Localizado na região centro oeste paulista, há cerca de 320 quilômetros da capital, o município de Agudos oferece fácil acesso pelas Rodovias Marechal Rondon e Castelo Branco, e pelo Aeroporto Internacional de Bauru, localizado há cerca de 15 km.
Com uma população de aproximadamente 38 mil habitantes, tem sua economia baseada em duas grandes indústrias, AMBEV que produz a melhor cerveja do país, justamente pela qualidade da água do município, e a DURATEX que tem em Agudos, a maior área de reflorestamento da América Latina.
Com clima ameno da serra e paisagem privilegiada com a beleza do cerrado, grande extensão rural, diversas nascentes e quedas d'água, a cidade é um convite aos turistas que querem desfrutar do contato com a natureza e da tranquilidade do campo.

ATRATIVOS TURÍSTICOS
Paisagem privilegiada, composta pela Serra de Agudos, Seminário Seráfico Santo Antônio, maior da América Latina, com riqueza arquitetônica, Capela, Museu da Evolução, Orgão Musical de tubos,casarões históricos, na região central da cidade, casarões preservados em antigas fazendas cafeeiras, cachoeiras e Quedas D'água, longos trechos de estradas rurais, para pratica de cavalgadas, mountain bike, motocross, espaço histórico, fábrica de doces caseiros, estâncias rurais. Parque Ecológico Açucena da Serra e Estação Férrea preservada.
Em Agudos há pelo menos quatro caminhos turísticos a serem percorridos e apreciados, e a melhor água do Estado de São Paulo, segundo avaliação da Sabesp, que está inclusive envasando a água agudense, que foi atestada recentemente pelo governador Geraldo Alckmin. Por esta qualidade certificada da água agudense, a antiga cervejaria Vienense, atual Ambev se instalou em Agudos, onde é produzida a melhor cerveja do País.

CAMINHO AVENTURA
Com uma extensa área rural e altitude de mais de 500 metros na Serra dos Agudos, o município agudense proporciona aos turistas diversas possibilidades de momentos de lazer, entretenimento, descanso, contemplação e muita aventura. Seja nos eventos de cicloturismo que são favorecidos pelas trilhas na área rural, ou nos eventos de Jeep e Motocross que também contam com belíssimos trechos em estradas de terra, córregos, rios, cachoeiras, matas de cerrado e paredões, onde é possível a pratica do rapel, escalada, tirolesa e arvorismo, além da tradicional caminhada e cavalgada. A paisagem privilegiada da Serra, riquezas naturais e a topografia são um convite para novas descobertas.

CAMINHO HISTÓRICO
O caminho histórico é composto pelas duas Estações Ferroviárias, Paulista e Sorocabana, construídas no século 19, que delimitam o eixo urbano de onde surgiu a cidade, num percurso de 1 quilômetro entre as duas estações que ficam uma de frente a outra, permitem ao visitante conhecer o monumento dos Pracinhas que serviram na Segunda Guerra Mundial, o Paço Municipal que fica num prédio histórico, visitar o Espaço Histórico que reúne fotos, documentos e objetos antigos, o prédio do Cine Teatro e a Igreja Matriz, em torno da qual, a cidade foi fundada.

CAMINHO RURAL
Com uma extensão territorial de mais de 900 quilômetros quadrados, Agudos possui um grande número de propriedades rurais, composta por antigas fazendas cafeeiras, com casarões coloniais preservados e setor agropecuário que compõe a economia local.
Num cenário privilegiado de vegetação de cerrado e rica fauna e flora, o visitante encontra estâncias com acomodações para hospedagem, espaço para eventos e atividades típicas do campo, como passeios a cavalo, trenzinho, além do maior seminário seráfico, localizado dentro de uma fazenda, há apenas quatro quilômetros do centro da cidade.

CAMINHO ECOLÓGICO
Localizado sobre a região do Aquífero Guarani, o lençol freático de Agudos é composto por grande quantidade de nascentes de importantes rios da região, como o rio Batalha, rio Lençóis e rio Turvo. O município possui também diversas cachoeiras e quedas d'água, e o Parque Ecológico Açucena da Serra que abriga diversas espécies da flora e fauna regional. A privilegiada geografia composta pela Serra, também permite a realização de trilhas e passeios ecológicos.
Gentílico: Agudense

GALERIA DE PREFEITOS

 

CAPITÃO BENEDICTO OTTONI DE A. CARDIA 1898 à 1904
LEOPOLDO AUGUSTO GOMES 1903 à 1904
GABRIEL DE OLIVEIRA ROCHA 1904à 1911
MAJOR ALFREDO PAES DE BARROS 1904 à 1905
MAJOR GASPARINO DE QUADROS 1905
CEL. ARMANDO DE OLIVEIRA ROCHA 1911 à 1912
TEN. LINDOLPHO LEITE DE MATOS 1913 à 1914
ALFREDO PENNA 1914 à 1915
TEN. LINDOLPHO LEITE DE MATOS 1916 à 1930
ALFREDO PENNA 1930 à 1932
PE. JOÃO BATISTA DE AQUINO 1931
CARLOS PEREIRA GOMES 1932 à 1933
CAP. SATURNINO DE PAULA ABREU JR. 1933 à 1934
ACHILES SORMANI 1933
JOÃO CARDOSO TERRA 1935 à 1937
BENEDITO DE OLIVEIRA LIMA 1938 à 1942
PE. JOÃO BATISTA DE AQUINO 1942 à 1947
MANOEL AMÂNCIO DE OLIVEIRA MACHADO 1947
JOÃO FERREIRA SILVEIRA 1952 à 1956
JOÃO BATISTA RIBEIRO 1956 à 1957
AUGUSTO SIQUEIRA 1957 à 1959
JOSÉ NOGUEIRA DE ABREU 1960 à 1963
JOÃO FERREIRA SILVEIRA 1964 à 1968
MANOEL LOPES 1969 à 1972
ANTONIO CONDI 1973 à 1976
NELSON ASSAB AYUB 1977 à 1982
RUBENS APARECIDO BENAZIO 1983 à 1988
NELSON ASSAB AYUB 1989 à 1992
MARCO ANTONIO DA SILVA 01/01/1993 à 31/12/1996
JOSÉ AFONSO BARBOSA CONDI 01/01/1997 à 31/12/2000
CARLOS OCTAVIANI 01/01/2001 à 31/12/2004
CARLOS OCTAVIANI 01/01/2005 à 31/12/2008
EVERTON OCTAVIANI 01/01/2009 à 31/12/2012
EVERTON OCTAVIANI 01/01/2013 à 31/12/2016
ALTAIR FRANCISCO SILVA 01/01/2017 à 31/12/2020
FERNANDO OCTAVIAN 01/01/2021 à 31/12/2024

OBS.: O CAPITÃO BENEDICTO OTTONI DE A. CARDIA, foi o primeiro Prefeito de Agudos.

 

 





Acervo Digital

Com a ajuda de vários colaboradores reunimos um acervo de fotos antigas desta cidade. Caso você tenha fotos antigas desta cidade, contribua conosco, enviando-as para o e-mail: contato@memorialdosmunicipios.com.br

Clique nas imagens abaixo para aumentá-las:

Faço parte dessa história
Empresas que fazem parte da história desta cidade.
Utilizamos seus dados para analisar e personalizar nossos conteúdos e anúncios durante a sua navegação em nosso site. Ao navegar pelo site, você autoriza o nosso site a coletar tais informações e utilizá-las para estas finalidades. Em caso de dúvidas , acesse nossa Política de Privacidade.
Entendi.